Mato Grosso, 11 de Dezembro de 2018
Saúde
Dores na coluna? Saiba como tratar
13.03.2018
FONTE: Luciano Gregório

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Luciano Gregório

Quem passa a maior parte do dia sentado, seja no trabalhou ou estudando, já deve ter notado que a má postura é uma das principais causas de dores nas costas. O que poucos sabem é que o incomodo pode ter origem em muitos outros fatores, como por exemplo, o excesso de peso, o sedentarismo, a falta de consciência corporal, a idade e até mesmo o cigarro.

 

E os dados são preocupantes, já que de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as dores nas costas são extremamente comuns na população em geral. Estudos revelam que aproximadamente 85% da população já sofreram ou vão sofrer em algum momento da vida com este problema.

 

Conhecidas de forma genérica como dor ciática, lombalgia ou cervicalgia, as dores nas costas merecem atenção para um diagnóstico médico preciso e indicação correta de tratamento. Ao contrário da cultura do brasileiro de se automedicar, é sempre importante procurar um profissional antes de tomar qualquer medicação sem a devida orientação, pois, o remédio apenas alivia o sintoma e não trata a causa da dor.

 

O tratamento conservador e não invasivo ainda é a melhor opção e sempre deve ser tentado antes de um procedimento cirúrgico. Apenas uma fração de 5 a 15% dos pacientes vai receber a indicação de cirurgia, ou seja, para mais de 85% das pessoas, o tratamento fisioterápico será suficiente.

 

Uma das novidades da fisioterapia para ajudar no tratamento é a mesa de Flexão-Distração que alivia a dor e a descompressão discal, indicada para o tratamento de várias patologias, como a hérnia de disco e nervo ciático atacado. O tratamento promove a mobilidade, melhora a sobrecarga e a estabilização vertebral, e ainda fortalece a musculatura.

 

Não existe fórmula mágica. Se, mesmo depois do tratamento conservador ou da cirurgia, a pessoa voltar aos velhos hábitos, o mesmo problema pode voltar dentro de dois ou três anos, em um círculo vicioso e muito dolorido, podendo estar presente de forma crônica na vida do paciente. O maior desafio é manter-se bem.

 

É indicado que após o tratamento conservador, o paciente adote hábitos mais saudáveis como a prática de atividades físicas, musculação e se possível à prática de pilates. Estes costumes são grandes aliados na prevenção de dores. Tais atividades devem contar com orientação profissional sempre.

 

Luciano Gregório é fisioterapeuta

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

ARTIGOS RELACIONADOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO