Mato Grosso, 22 de Setembro de 2017
Variedades
Que queres que eu te faça?
11.07.2017
FONTE: João Antonio Pagliosa

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • João Antonio Pagliosa

O homem é o simples resultado de tudo aquilo que povoa a sua mente.

 

Pensamentos ele transforma em palavras e as transmite àqueles que o cercam.

 

Palavras invariavelmente se transformam em ações que poderão ou não modificar a visão e quiçá a vida de outras pessoas. Para o bem ou para o mal.

 

Por isso precisamos constantemente ter muito cuidado com tudo que sai de nossa boca. Nossa palavra pode ajudar mas também pode destruir.

 

Nossas ações tornar-se-ão hábitos em nossa vida e são estes hábitos que moldarão e lapidarão o nosso caráter.

 

É o caráter de cada um sobre a face da terra que selará o seu destino. Seremos bem sucedidos?

 

A resposta será afirmativa se soubermos governar nossa vida com sabedoria e prudência.

 

O mundo que hoje vivemos, lamentavelmente jaz no maligno. A hipocrisia, a falsidade, a luxúria, a lascívia, a soberba, o egoismo, o orgulho e o fascínio por dinheiro e poder, transformam o homem

contemporâneo, numa máquina de mal feitos.

 

Este mesmo mundo carece de um novo tempo, de uma nova sociedade cuja característica fundamental, seja a solidariedade humana e o amor pelo seu semelhante.

 

Particularmente, eu não consigo visualizar isso de forma concreta, senão seguirmos com propriedade os ensinamentos de Jesus Cristo. Este homem Deus que revolucionou o mundo pela sua mansidão e pela sua capacidade de amar ao próximo. Ele viveu e morreu e ressuscitou. Sua tumba em Jerusalém está vazia porque Ele vive.

 

E por estar vivo e por ser Deus, quer curar cada uma de suas criaturas. Quer enxugar suas lágrimas e ser o seu porto seguro.

 

No Novo Testamento, em João, capítulo 5, versículos 1 a 18, Jesus pergunta ao deficiente, no tanque de Betesda:

 

--“Que queres que eu te faça?”

 

E este pobre homem, paralítico havia 38 anos, permanecia ali, aguardando a graça de sua cura. Queixava-se de sempre ser deixado para trás, pelos homens sem deficiência que caiam na água, antes dele e eram curados.

 

Enquanto não houver arrependimento por transgressões, enquanto não houver quebrantamento de coração, enquanto não houver o clamor pelo socorro de Deus, a benção não virá.

 

Prezado leitor, em que áreas de sua vida você é deficiente e precisa de socorro? Pense e vasculhe sua vida, e como tem sido seus dias, como tem utilizado seu tempo. Você é feliz? Julga ter vida em abundância?

 

Com toda a certeza, Deus sempre quer o melhor para cada um de nós e ama imensamente cada uma de suas criaturas. Nos ama a tal ponto que não vacilou em sacrificar seu único filho para que todos tivéssemos a chance da salvação.

 

Obter o ingresso no paraíso e viver toda a eternidade junto a Deus, será a recompensa daqueles que não se dobraram ante tantos outros deuses que este mundão oferece.

 

Na última quinta feira, participei de um evento na sede da SEBRAE Curitiba e presenciei quinze empresários demonstrando sua capacidade criativa  e todos explicando como superaram suas dificuldades e os paradigmas do “isso não vai dar certo”. O principal ensinamento sempre é:

 

--“Se cair sete vezes, levante-se oito. Nunca desista!” Considero o gesto de empresários vencedores, ensinarem seus semelhantes, algo muito solidário e promissor. Somos todos muito dependentes dos outros.

 

Você precisa entretanto, descobrir que é totalmente dependente de Deus.

 

Qualquer trabalho precisa ser feito com planejamento, com conhecimento, mas sempre com muito amor. Sem amor nada funciona, nada edifica, nada tem sentido e amor é a essência de Deus.

 

Por isso, meu prezado, nas suas horas ruins, nas suas dificuldades e lutas, não olvide a passagem bíblica da cura do paralítico, narrado por João.

 

Nosso irmão Jesus, está sempre disponível, e lhe pergunta com todo o amor: “Que queres que eu te faça?”

 

Se você crer, todos os seus sonhos serão restaurados e o amanhã será dádiva preciosa.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

ARTIGOS RELACIONADOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO