Mato Grosso, 23 de julho de 2014
.:: Publicidade

Após 100 dias, professores decidem em assembleia manter greve na UFMT

Em 25 de agosto de 2012 as 10h34

Professores em assembleia nesta sexta decidiram manter paralisação.
Greve que começou no dia 17 de maio deixa mais de 19 mil alunos sem aula.

Fonte: G1

http://www.expressomt.com.br/matogrosso/apos-100-dias-professores-decidem-em-assembleia-manter-greve-na-ufmt-28302.html

Crédito: Ilustração

A greve dos professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) completou 100 dias e diante da negativa do governo federal em reabrir negociações com a categoria, a Associação dos Docentes da UFMT (Adufmat) decidiu, em assembleia geral nesta sexta-feira (24), continuar com o movimento grevista. Os professores também decidiram se reunir com a bancada federal de Mato Grosso na segunda-feira (27) para pressionar a Presidência da República a avaliar uma contraproposta protocolada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

Na contraposta protocolada na última quinta-feira (23), o Andes considera uma estrutura da carreira com 13 níveis, enquanto a proposta final do governo divide os níveis em cinco classes, incluindo a de professor titular, onde só existe um nível.

Deste modo, com o fim da greve dos servidores técnico-administrativos das universidades federais na última quarta-feira (22), e a confirmação dos ministérios do Planejamento e da Educação de reiterar que as negociações seguem encerradas desde 3 de agosto, o sindicato dos professores optou por buscar apoio no Congresso Nacional para tentar abrir as negociações com o governo federal.

“Os Ministérios da Educação e do Planejamento estão fugindo da responsabilidade de avaliar a carreira dos professores. Até agora não fizeram uma proposta que tocasse na restruturação da carreira. Por isso, vamos pedir o apoio dos congressistas, pois até o momento, a presidente Dilma Rousseff não se manifestou sobre essa questão”, declarou o professor Maurélio Menezes, que responde pelo comando da greve na UFMT.

A greve nacional foi iniciada em 17 de maio deixando 19.385 acadêmicos sem aula no estado. Do total de 59 universidades, 57 aderiram à paralisação, além dos 37 institutos, centros de educação tecnológica e o Colégio Pedro II.

Manifestação
De acordo com Adufmat, as categorias dos Servidores Públicos Federais em Mato Grosso, incluindo os professores da UFMT, realizarão um ato unificado na próxima terça-feira (28), na Praça Ulisses Guimarães, das 8h às 12h. O objetivo, segundo o sindicato, é chamar a atenção da opinião pública para a postura do Governo Federal frente as negociações com os servidores.



Comentários

Topo

© ExpressoMT (2008 - 2014) - Todos os direitos reservados.

Fale conosco| Seja um parceiro| Quem somos| Mapa do site