Mato Grosso, 10 de Dezembro de 2018
Esportes
Antes intransponível, defesa do Grêmio vaza em jogos decisivos, mas mantém saldo positivo
09.08.2018
14:01
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • 42107693840_2370d6d2fe_k

    Lucas Uebel / Grêmio, DVG

Melhor defesa do Brasil, temida por atacantes adversários, quase intransponível e ainda com um zagueiro de seleção. Tão elogiado, o sistema defensivo do Grêmio sempre foi uma das maiores qualidades do time de Renato Portaluppi. Nos últimos jogos, no entanto, a equipe acabou vazada no momento mais delicado: os confrontos em mata-mata. Mesmo assim, conta com saldo para lá de positivo no ano.

 

Para se ter uma ideia, o Grêmio é dono da melhor defesa do Brasileirão e foi o time menos vazado na fase de grupos da Libertadores. Na derrota por 2 a 1 diante do Estudiantes, no entanto, acabou superada duas vezes pela primeira vez em um jogo da competição.

 

Com a derrota, o Tricolor terá a obrigação de balançar as redes na Arena, no duelo de volta, para se manter na rota do tetracampeonato. O discurso, porém, é de confiança total para o confronto em Porto Alegre.

 

– O primeiro gol (do Estudiantes) foi um golaço, chute indefensável. Mas o importante é que o Grêmio sai vivo. O Grêmio não vai fazer a primeira partida fora e ganhar sempre. Não é fácil vir aqui (na Argentina), jogar e ganhar. O mais importante, apesar da derrota, o Grêmio está vivíssimo. A outra partida vai ser diferente. Vamos trabalhar bastante para reverter o placar. Isso vai acontecer – destaca Renato.

 

O gol anotado fora de casa foi primordial para aumentar a confiança do time gaúcho. Para avançar de fase, o clube precisa de uma vitória simples por 1 a 0, graças ao saldo qualificado. Se devolver o 2 a 1, a decisão vai para os pênaltis. Triunfos por um gol de diferença a partir do 3 a 2 classificam os argentinos.

 

Oscilação após o Mundial

Marcelo Grohe chegou a ficar sete jogos sem sofrer gol mesmo sem Geromel, durante o período de preparação para a Copa do Mundo. Independentemente das peças na zaga, o Tricolor sempre manteve o setor como um dos expoentes do time.

 

A pausa para o Mundial da Rússia, no entanto, não foi boa para o Grêmio. Em sete partidas desde a volta do calendário, somou três vitórias, duas derrotas e dois empates, um aproveitamento de 52%. Nos últimos cinco jogos, aliás, a equipe sofreu cinco gols.

 

O ambiente se tornou pesado, especialmente, após dois jogos: derrota para o Vasco por 1 a 0, no Rio, pelo Brasileirão, e empate em 1 a 1 diante do Flamengo, na Arena, pela Copa do Brasil. Em ambas as situações, Renato deixou o gramado indignado com os gols sofridos no início e no fim das partidas, respectivamente.

 

O próprio Geromel, tão elogiado reiteradamente, chegou a cometer falhas impensáveis para ele. No dia em que completou 200 jogos pelo Grêmio, por exemplo, admitiu falha no gol do São Paulo, pela 15ª rodada do Brasileirão. No entanto, o Tricolor venceu a partida de virada por 2 a 1.

 

Balanço positivo

A defesa do Grêmio segue com gordura de sobra, assim como nos últimos anos, sob comando de Renato Portaluppi. Em 17 jogos do Brasileirão, por exemplo, sofreu apenas oito gols – média de 0,47 por jogo.

 

O pior aproveitamento do clube gaúcho no setor aconteceu durante o Gauchão. Mas com uma ressalva: o Tricolor teve time alternativo nas primeiras rodadas do estadual (confira os números abaixo).

 

Recorde da temporada

7 jogos sem sofrer gol

No total

46 jogos

34 gols sofridos

0,73 por jogo

No Brasileirão

17 jogos

8 gols sofridos (melhor defesa)

0,47 por jogo

Na Libertadores

7 jogos

4 gols sofridos

0,57 por jogo (melhor defesa da fase de grupos)

Copa do Brasil

3 jogos

2 gols sofridos

0,66 por jogo

Gauchão

17 jogos

19 gols sofridos

1,11 por jogo

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO