Mato Grosso, 26 de Junho de 2019
Esportes
Após quatro anos Sampaio Corrêa voltará a disputar a Série C
23.09.2012
21:06
FONTE: Globo Esporte

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

Foram quatro anos longe da Série C. Naquele fatídico dia 2 de agosto de 2009, após o empate sem gols com o Paysandu, o Sampaio era rebaixado para a Série D, e participaria do torneio no segundo ano de sua existência. Desde então, o time maranhense ficou no quase para o retorno à Série C. Entretanto, neste domingo, após o empate sem gols com o Mixto, o Tricolor garantiu o acesso à Série C de 2013, voltando à disputar a competição quatro anos após o rebaixamento.

O caminho para esse retorno foi árduo e com tropeços nas primeiras duas tentativas. Em 2010, a eliminação em casa para o Guarany de Sobral na terceira fase e em 2011, a derrota por 3 a 0 para o Cuiabá, nas oitavas de final, deixavam sempre o time maranhense com aquele gostinho de “quase”.

Mas em 2012, após duas temporadas ficando no meio do caminho, o Sampaio fez o planejamento desde o início do ano e agora colheu os frutos. Com uma campanha invicta, o time maranhense retornou à Série C.

O rebaixamento e a estreia na Série D
O descenso do Sampaio aconteceu em 2009 de forma dramática. Jogando no Renê Bayma, em Codó, por causa da perda de mando de campo, os maranhenses precisavam vencer o Paysandu, para se manter na Série C, no ano em que a competição passou a ter somente 20 clubes.

Entretanto, o nervosismo atrapalhou o time, que ficou no 0 a 0 e não conseguiu evitar a queda para a Série D. Só restava ao elenco se organizar para a temporada seguinte e tentar voltar para a Terceira Divisão.

Chegou 2010 e Arnaldo Lira comandou o time no início da Série D, após o fracasso na Copa União. Na fase de grupos, jogos complicados contra JV Lideral, Flamengo-PI e Guarany de Sobral. A classificação confirmada somente na última rodada, por causa do saldo de gols, eliminando, o também maranhense, JV Lideral.

Apesar da classificação, Arnaldo Lira foi demitido e Flávio Campos foi contratado para tentar melhorar o rendimento do time. A mudança de treinadores deu certo e na segunda fase, contra o CSA, que havia se classificado de forma invicta, o Sampaio aplicou uma sonora goleada de 5 a 0. Resultado que fez o time relaxar na volta e empatar em 2 a 2 com os alagoanos, mas garantindo a vaga para a terceira fase.

Nesta fase, 10 times entraram em campo e brigariam para ter os oito melhores índices técnicos para avançarem às quartas de final. O Sampaio teve pela frente o Guarany de Sobral, e no primeiro jogo, em Sobral, vitória cearense por 1 a 0, que deixava o time maranhense dependendo de uma vitória para se manter entre os oito melhores da fase.

Em São Luís, novamente ao lado da torcida, o nervosismo entrou em campo com o Sampaio. Apesar de Célio Codó marcar o primeiro gol aos nove do primeiro tempo, aos 17, Danilo PItbull empatou o jogo. Os maranhenses pressionaram atrás da virada para continuar sonhando com o acesso, mas ficaram no quase.

Por causa de dois pontos, o Sampaio deu adeus ao sonho do retorno à Série C. Entretanto, dois pontos, que segundo o goleiro Rodrigo Ramos, em entrevista recente ao GLOBOESPORTE.COM, foram desperdiçados no jogo de volta contra o CSA.

- Em 2010 acho que a mudança de treinador em cima da hora e durante a competição, na época o Arnaldo Lira trouxe 15 jogadores, foi um dos erros. Depois o próprio Arnaldo Lira saiu. Outro erro foi não termos estudado o planejamento em 2010. Onde nós havíamos vencido o CSA em casa por 5 a 0 e se nós tivéssemos vencido o segundo jogo, e estávamos vencendo em Alagoas, mas acabou empatado em 2 a 2, teríamos garantido a vaga na fase decisiva do mata-mata. Mas empatamos o jogo e não conseguimos o índice técnico para a classificação.

Boa campanha em 2011, mas eliminação nas oitavas
Em 2011 foi a vez da segunda tentativa do Sampaio retornar à Série C. Para este desafio, o Tricolor contava com o técnico Josué Teixeira, que comandou o time ao bicampeonato maranhense.

Com reforços e jogadores conhecidos, o time maranhense iniciou a campanha na Série D, com duas vitórias, mas a derrota para o Comercial-PI, na terceira rodada, abalou o time. O preparador físico na época, Spencer Tamião foi demitido do time, sob alegações de que estaria exagerando nas atividades dos jogadores.

O Sampaio melhorou e se recuperou, goleando o Independente por 4 a 1, mas depois, fora de casa, perderia para o mesmo Independente, por 2 a 1. Apesar disso, os maranhenses reencontraram o Comercial-PI e venceram por 3 a 0, garantindo a vaga nas oitavas de final.

Já classificado, a comissão técnica resolveu mandar o time reserva para atuar contra o Trem, e acabou perdendo por 1 a 0. Resultado, que aliado ao empate em 1 a 1 com o São Raimundo, na última rodada fizeram os maranhenses terminarem na segunda posição.

Dessa forma, o Sampaio teve pela frente o Cuiabá, que em São Luís, perdia por 2 a 0, mas no segundo tempo conseguiu um gol como visitante, aliviando a situação para o jogo de volta. Entretanto, na volta, o Cuiabá venceu os maranhenses por 3 a 0, sem dificuldades e pela segunda vez o Sampaio ficou pelo caminho.
Em 2012, enfim o retorno à Série C

Após duas tentativas frustradas, três técnicos comandando o time na Série D nas temporadas passadas, em 2012, os maranhenses chegaram ao seu objetivo principal. Mas a preparação começou ainda no Campeonato Maranhense, com a chegada do técnico Flávio Araújo, conhecido por subir times com Icasa e América-RN, nas últimas temporadas.

Mudança, que levou o time no primeiro semestre ao tricampeonato maranhense, após a eliminação nas semifinais do primeiro turno, mas com uma campanha invicta no returno. O time estava motivado para a Série D.

Motivação que deu resultado em campo, com o time reforçado com jogadores como Pimentinha, Carlinhos Rech, ZéPaulo e Luis Jorge, com estes dois últimos sendo reservas. Na fase de grupos, apesar dos vários adiamentos de jogos do Sampaio, a equipe se classificou com quatro rodadas de antecedência, na chave que contava com Comercial-PI, Santos-AP, Araguaína e Mixto.

Fim de primeira fase e o Sampaio conquistou os 24 pontos possíveis nos oito primeiro jogos da Série D. Nas oitavas de final, o adversário foi o surpreendente Vilhena, que passou como vice-líder do grupo A1, que ainda contava com o Remo.

No primeiro jogo contra os rondonienses, quase que o Sampaio voltou para São Luís com uma derrota. Até aos 47, o time perdia por 2 a 1, mas um gol contra o zagueiro Mário Paiva garantiu o empate e a vantagem para os maranhense.

Em São Luís, na reinauguração do Castelão, o Sampaio ainda tomou um susto no primeiro tempo, com o Vilhena saindo na frente. Entretanto, no segundo tempo, o Tricolor buscou a virada, e goleou por 4 a 1 garantindo a vaga nas quartas de final, onde voltaria a encarar o Mixto, que passou pelo Remo no primeiro cruzamento do mata-mata.

No primeiro jogo com o Mixto, o Sampaio conquistou um empate em 1 a 1, e jogava com a vantagem do empate sem gols para retornar à Série C, em São Luís. No Castelão, mais uma vez lotado, o time maranhense sofreu, não marcou gols e parou o ataque do Mixto. Com o 0 a 0 no placar, o Sampaio garantiu o retorno à Série C de 2013.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO