Mato Grosso, 19 de Outubro de 2018
Economia / Agronegócio
Assembleia da Aprosoja decide entrar na Justiça contra o Fethab 2
13.04.2018
10:38
FONTE: Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • assembleia aprosoja

    Decisão foi tomada pelos produtores associados de forma unânime na quarta-feira (11) (Divulgação)

Os produtores associados da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) decidiram entrar na Justiça contra o Governo de Mato Grosso por desvio de finalidade na aplicação dos recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação, mais especificamente contra o Fethab 2.

 

A decisão foi tomada em assembleia geral extraordinária na última quarta-feira (11) e é unânime. Participaram da discussão associados de todas as regiões de Mato Grosso. De acordo com o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan, a medida é necessária pelo descaso que vem acontecendo na aplicação dos recursos do fundo.

 

“No ano passado, na posse da nossa diretoria, o governador Pedro Taques prometeu que uma conta específica para o Fethab 2 seria criada. Isso foi possível graças às nossas reivindicações. De fato, a conta foi criada, mas até o momento não recebemos resposta da aplicação desse fundo para as obras de infraestrutura de Mato Grosso”, relembra Galvan.

 

O presidente também reforça que no dia 06 de março deste ano, um ofício assinado pelo Fórum Agro Mato Grosso, foi enviado ao governador Pedro Taques, solicitando o depósito do Fethab 2 na conta específica retroativamente a 1º de janeiro, bem com a disponibilização da movimentação financeira semanalmente para as entidades.

 

O Fórum Agro MT é uma entidade composta pela Aprosoja, Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Associação Mato-grossense Produtores de Algodão (Ampa), Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Associação dos Criadores de Suíno de Mato Grosso (Acrismat) e Associação dos Produtores de Mato Grosso (Aprosmat).

 

“Até o momento, o governador não respondeu o ofício e já se passou um mês. Além disso, há algum tempo não são convocadas reuniões do Conselho Diretor do Fethab, que é onde deveriam ser esclarecidos os gastos relacionados e, conforme a legislação estadual, definida a aplicação dos recursos do fundo”, completa Galvan.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO