Mato Grosso, 24 de Abril de 2017
Mato Grosso
Comunidades ribeirinhas em cidade de MT ficam ilhadas após cheia de rio
17.02.2017
09:19
FONTE: G1 MT

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Comunidades ribeirinhas ficam no município de Santo Antônio do Leverger (MT)
Pelo menos sete comunidades ribeirinhas no município de Santo Antônio do Leverger, a 35 km de Cuiabá, estão ilhadas depois da cheia no Rio Cuiabá. Segundo os moradores, a enchente começou há três. A estimativa é de que o rio subiu 86 centímetros até a manhã dessa quinta-feira (16). De acordo com a Defesa Civil, o único acesso nas propriedades rurais é de barco.

A cheia não é novidade para os ribeirinhos que moram às margens do rio. Segundo a dona de casa, Ana Predoza, que mora em uma das propriedades, as cheias são comuns. “Estamos acostumados com o nível da água. Às vezes ficamos com medo e ficamos atentos, mas é só para vigiar mesmo”, disse.

Equipes da Defesa Civil foram enviadas ao município para distribuir medicamentos, cloro para o tratamento da água e comida. Os mantimentos são levados em um barco e são entregues em uma operação montada pela prefeitura.

“Estamos fazendo um diagnóstico dos ribeirinhos que estão isolados e precisam de ajuda. A nossa maior preocupação é saber se os ribeirinhos estão tendo acesso à água tratada”, afirmou o prefeito daquele município, Valdir Pereira de Castro. A estimativa é de que, pelo menos, mil pessoas foram atingidas pela cheia.

Em alguns pontos, segundo os moradores, a água já subiu três metros. Em uma das casas, os animais criados já estão sendo levados para dentro de casa. “As galinhas estão em cima das árvores, os cachorros todos em cima das camas. Só os porcos ficaram porque só se chega lá de barco”, contou Felipe Teixeira, que está desempregado.

Outros municípios
Em Campo Novo do Parecis, cerca de 3 mil moradores ficaram desalojados após fortes chuvas na região. Segundo dados da Defesa Civil, em 48 horas choveu, no município, mais do que o previsto para o mês todo.

Os moradores foram desalojados na tarde de sexta-feira (10), quando choveu 150 milímetros durante um período de apenas três horas, resultando no alagamento de casas e ruas do município. O bairro mais atingido foi o Jardim das Palmeiras, onde moradores foram retirados às pressas e até mesmo resgatados de barco, devido ao alto volume de água. Diante da situação, o prefeito do município, Rafael Machado (PSD), decretou situação de emergência.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO