Mato Grosso, 15 de Agosto de 2018
Mato Grosso
Conselho de Arquitetura notifica prefeitura de Várzea Grande sobre baixos salários em concurso
25.01.2018
07:32
FONTE: Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Varzea Grande

    Divulgação

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso (CAU/MT) irá oficiar, nos próximos dias, junto à prefeitura de Várzea Grande, sua preocupação em relação à remuneração do arquiteto e urbanista, previsto no edital 02/2017, do concurso público do município, a ser realizado em fevereiro.

 

O ponto de atenção, segundo o Conselho, é que o valor proposto para remuneração da categoria profissional, de R$ 2.560 reais para oito horas diárias de trabalho, não é compatível com o que determina a Lei nº 4.950-A/66. De acordo com a legislação, a remuneração do arquiteto e urbanista deve ser de seis salários mínimos (R$ 5.620,00), para seis horas diárias de trabalho; de 7,25 salários mínimos (R$ 6.793,25), para sete horas, e de 8,5 salários mínimos (R$ 7.964,50), para oito horas diárias trabalhadas.

 

A manifestação do CAU/MT tem amparo no entendimento do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), conforme a Orientação Jurídica nº 2/2012. O documento orienta para a aplicação da remuneração prevista na referida legislação aos arquitetos e urbanistas lotados na administração pública de estados e municípios.

 

O CAU/MT pretende reforçar essa orientação para o edital em questão.

 

Os arquitetos e urbanistas são profissionais preparados para projetar e acompanhar a construção de edificações. Além disso, são responsáveis por planejar as intervenções em espaços urbanos em qualquer escala – desde pequenos loteamentos até cidades – articulando-as com as políticas públicas.

 

Entre outras atividades do arquiteto e urbanista estão:

 

- Desenvolver Planos Diretores, obrigatórios para municípios com população acima de 20 mil habitantes, e suas revisões;

- Desenvolver Planos Locais de Habitação de Interesse Social, definindo soluções e buscando recursos para habitação de interesse social e assistência técnica;

– Atuar em ações que envolvem programas governamentais para habitação;

– Atuar na inserção urbana de empreendimentos habitacionais e seus impactos na cidade;

– Atuar na recuperação de áreas urbanas de interesse histórico;

– Atuar em projeto, fiscalização e execução de obras em diferentes áreas, como escolas, hospitais, unidades de saúde, centros comunitários, bibliotecas, praças, centros esportivos, entre outros.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO