Mato Grosso, 22 de Abril de 2019
Nacional / Internacional
Cuidados com a saúde são essenciais para evitar novas vítimas após tragédia de Brumadinho
07.02.2019
10:16
FONTE: Governo do Brasil

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • 5bf50ba7_c986_4816_83f4_b8a8f1107d35

    Alimentos que tiveram contato com a lama não devem ser consumidos pela população - Foto: Isac Nóbrega/PR

O rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), fez centenas de vítimas, entre mortos, desaparecidos, feridos e desabrigados. Para evitar que mais pessoas sejam afetadas pela tragédia, os cuidados com a saúde são fundamentais. Moradores dos locais atingidos pelo avanço dos rejeitos devem ficar atentos ao consumo de alimentos e água, aos riscos de doenças, à presença de animais peçonhentos, entre outras precauções.

 

Os cuidados com a saúde mental também são essenciais, já que um evento traumático pode trazer uma série de impactos de ordem psicológica ou emocional para a vida das pessoas. Confira abaixo as principais recomendações do Ministério da Saúde para a população:

 

Consumo de água e alimentos

Qualquer alimento que teve contato com a lama – mesmo aquele embalado ou enlatado – não deve ser consumido. As comidas com cheiro, cor ou aspecto fora do normal e alimentos cozidos ou refrigerados que tenham ficado por mais de duas horas sem refrigeração também não devem ser ingeridos.

 

As pessoas não devem pescar ou consumir peixes provenientes do rio Paraopeba, contaminado pela onda de rejeitos. É recomendado consumir apenas água indicada pelas autoridades, de preferência filtrada e fervida, assim como evitar o contato direto com a lama. Quando for necessário o manuseio, o indicado é utilizar botas e luvas ou envolva os pés e os braços em sacos plásticos.

 

A ingestão de água ou alimentos contaminados pode causar uma série de doenças, como diarreia, cólera, febre tifoide, hepatite A, giardíase, amebíase, verminoses e leptospirose. Quem apresentar sintomas como vômitos, coceira, tonteira e diarreia após o contato com alimentos contaminados deve procurar a unidade de saúde mais próxima.

 

Animais peçonhentos

Os moradores das áreas afetadas pela tragédia devem ficar atentos à presença de animais peçonhentos, como escorpiões, aranhas e cobras, que, após incidentes como esse, costumam procurar abrigo em locais secos, como interior de residências ou onde há lixo acumulado.

 

Por isso, é recomendado sempre inspecionar bem sua casa, usando botas e luvas ao vasculhar os escombros e ao limpar a residência e seus arredores. Roupas, sapatos, toalhas, lençóis e colchões devem ser sacudidos antes do uso. Não é recomendado colocar as mãos em buracos ou frestas. Se algum animal for encontrado, a dica é não tocar nele e acionar imediatamente a autoridade competente.

 

Em caso de acidentes, a vítima deve ser mantida em repouso, deitada e com o membro acometido elevado em relação ao resto do corpo. O Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Minas Gerais (CIATox-MG) pode ser acionado pelo telefone (31) 3224-4000.

 

Saúde mental

Desastres com muitas perdas como o rompimento da barragem do Córrego do Feijão podem desencadear distúrbios ou desordens, que, em certos casos, evoluem para um quadro de Transtorno de Estresse Pós-Traumático ou outras psicopatologias.

 

Os sintomas podem ser físicos (palpitações, alergias, hipertensão, dor de cabeça ou crises de enxaqueca, por exemplo) ou emocionais (distanciamento emocional, distúrbios do sono, medo intenso, crises de ansiedade e/ou episódios de pânico, entre outros). Se identificar sinais como esses, procure ajuda profissional.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO