Mato Grosso, 21 de Março de 2019
Mato Grosso
Discussões sobre saúde mental buscam fortalecer rede assistencial
15.03.2019
16:12
FONTE: Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • saúde mental fórum

    Divulgação

Cada vez mais frequentes, as discussões sobre problemas de saúde mental buscam fortalecer a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). Com importante atuação na sociedade, a RAPS é formada por diversos serviços, entre eles CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), serviços terapêuticos, Atenção Básica, Urgência e Emergência, Comunidades Terapêuticas, entre outros, e tem como objetivos gerais ampliar o acesso à atenção psicossocial da população.

 

Com o intuito de promover um amplo debate e propor diretrizes para fortalecer a rede de saúde mental, a Secretaria de Saúde de Lucas do Rio Verde realizou nesta sexta-feira (15), o I Fórum de Saúde Mental. Participaram do encontro profissionais da área de saúde, estudantes, servidores municipais, representantes de instituições e especialistas na área.

 

“Nos últimos dias temos nos deparado com situações graves e de comoção nacional acerca do tema e isso nos leva a nos questionar sobre o impacto que isso gera, sobre o que poderíamos ter feito enquanto indivíduos para ajudar as pessoas que mais precisam, um auxílio mais próximo da família, amigos, vizinhos, e fica sempre o alerta quanto à saúde mental. O atendimento dessa área tem um impacto extremamente significativo pra população, esse cuidado especial com o sentimento das pessoas”, destacou o secretário de Saúde, Rafael Bespalez.

 

Com o tema “Saúde Mental: Democracia e Direitos do Usuário”, o fórum contou com três palestras, com a psicóloga Mestre Ariane Benedetti e as psicanalistas Mestre Veline Filomena Simioni da Silva e Doutora Daniela Santos Bezerra, além de mesa redonda, discussões sobre demandas e propostas para a Conferência Municipal de Saúde.

 

“Existe uma necessidade em discutir cada vez mais sobre este tema, um importante eixo da Conferência de Saúde, para discutir diretrizes, ver o que pode melhorar, quem mais pode ser incluído na rede de assistência, trocar de experiência, conhecer exemplos do que dá certo e que pode ser utilizado por outros municípios, outras equipes. Atualmente, em Lucas do Rio Verde, são atendidos 400 pacientes pelo Caps, além de cerca de 350 pessoas que participam das atividades e ações em grupos, por isso é tão importante essa troca de experiências, de conhecimento”, explica a coordenadora da RAPS e supervisora de Média e Alta Complexidade, Tatiani Lima.

 

De acordo com Tatiani, a realização do fórum também se deve à atenção que precisa ser dada aos desafios que ainda são encontrados nesta área. “O grande desafio é lutar contra o preconceito. As pessoas têm demorado cada vez mais para buscar ajuda, para procurar um tratamento, muitas vezes vêm de um processo de adoecimento e quando chega até nós, já está bastante grave. E essa demora, essa resistência, prejudica no tratamento. O apoio da família é essencial, pois o trabalho da rede e do Caps não se faz sozinho, é preciso ter essa atenção. Tratar a saúde mental é como ir ao médico fazer exames de rotina, é básico e precisamos fazer no dia a dia, ser saudável, praticar atividade física, ter lazer, momentos com a família, tudo isso é importante para uma boa saúde mental”, comentou a coordenadora.

 

O I Fórum de Saúde Mental contou com apresentação de dança dos alunos da Apae, mesa de honra com autoridades e especialistas e apresentação de música.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO