Mato Grosso, 19 de Outubro de 2018
Esportes
Em má fase, Róger Guedes recebe apoio de colegas e alerta de Larghi: "Tem que rever"
16.04.2018
08:11
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • 40590386895_4fb220bb98_o

    Lance envolvendo Róger Guedes determinou derrota do Atlético-MG em São Januário (Foto: Bruno Cantini)

Róger Guedes chegou com moral ao Atlético-MG no início de 2018. Com status de titular, fez uma grande partida na estreia com a camisa alvinegra, no Independência, contra o Democrata-GV, e empolgou a torcida. Aos poucos, foi caindo de rendimento e perdendo espaço. Um momento de turbulência foi no dia 28 de fevereiro, quando reclamou de forma veemente após ser substituído no jogo contra o Figueirense, pela Copa do Brasil. Outro momento complicado pelo atacante foi nesse domingo, contra o Vasco, pelo Brasileirão.

 

Guedes - hoje, indiscutivelmente, reserva - saiu do banco aos 42 minutos do segundo tempo para entrar em campo na vaga de Cazares, que saiu sentindo dores musculares. O Atlético-MG, que vencia por 1 a 0, havia acabado de levar o gol de empate. Aos 50, teve um contra-ataque muito bom, uma ótima chance para marcar o gol da vitória. Róger Guedes avançou com a bola e tentou um passe de calcanhar, que não encontrou nenhum companheiro. O contra-ataque do Galo virou ataque do Vasco, Rildo caiu na área, e o árbitro, erroneamente, marcou pênaltli. Gol da virada vascaína.

 

A torcida atleticana ficou na bronca com Róger Guedes. Na arquibancada em São Januário, muita gente criticou o erro fatal do atacante. Após a partida, o treinador Thiago Larghi e o goleiro Victor falaram sobre a situação.

 

- As oportunidades estão ali para ser agarradas. Não podemos desperdiçar um contra-ataque como desperdiçamos. Temos que avaliar internamente (a situação de Róger Guedes), dar apoio ao jogador a partir do momento em que ele está aberto a melhorar, a produzir. Era uma situação clara de contra-ataque nosso, em que poderíamos fazer o segundo gol ali, e perdemos a bola. Ele tem que rever, sim, vamos apoiá-lo nisso. Ele querendo trabalhar, vai ter novas oportunidades para entrar e ajudar a equipe. Precisamos dele também - analisou o técnico do Galo.

 

Se a declaração de Larghi tem um tom de "puxada de orelha", Victor optou por um discurso mais ameno. O goleiro - que ficou extremamente nervoso após o gol de pênalti - disse que a responsabilidade da derrota é de todo o grupo.

 

- Todo mundo em campo está sujeito a errar, a acertar. A gente sabe do potencial, da capacidade do Róger Guedes. Não estamos aqui para apontar culpado. Todo mundo é culpado pela derrota. É um jogador que tem o apoio de todos, a gente sabe o que ele pode ajudar, pode render para a equipe. Ele tem todo o respaldo de nós, jogadores, e também da comissão técnica e diretoria.

 

Na próxima quarta, em Fortaleza, o Atlético-MG encara o Ferroviário, pela Copa do Brasil. No jogo de ida, no Independência, larga vitória por 4 a 0. É possível que Larghi poupe alguns jogadores, já pensando no duelo com o Vitória, domingo, pelo Brasileirão. Dessa forma, pode pintar uma nova chance para Róger Guedes. Caso não apareça, cabe ao jogador seguir trabalhando para conquistar o espaço e provar que a má fase ficou para trás. O atual momento, ao que parece, é o ápice da turbulência do atacante no Galo até aqui.

 

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO