Mato Grosso, 14 de Novembro de 2019
Variedades
Ex-BBB Angélica posa com os filhos: 'Quero ser exemplo de superação'
05.05.2015
06:41
FONTE: EGO

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Ex-BBB Angélica Ramos brinca com os filhos Luiz Otávio e Vinícius em buffet infantil
Fora do "BBB 15", Angélica Ramos mostra que a personalidade forte que marcou sua participação no reality show também impera na relação com os filhos, Luiz Otávio, de 7 anos, e Vinicius, de 4. A ex-BBB é do tipo leoa, que não leva desaforo para casa e defende quem ama com unhas e dentes. Solteira, a auxiliar de enfermagem conta que não teve receio de se separar do pai do filho caçula e criar os dois meninos sozinha.

"Me separei grávida de três meses do caçula porque meu ex era muito ciumento. Eu trabalho desde os 14 anos, minha mãe também é separada e criou duas filhas sozinha. Eu tinha essa referência em casa, então nunca tive medo", conta ela, que posou com os filhos em clima de Dia das Mães em um no buffet infantil no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo.

Após conquistar visibilidade com o "BBB", Angélica agora quer conciliar a maternidade com a carreira artística. O trabalho como auxiliar de enfermagem, ao qual ela se dedicou durante 14 anos, vai ficar em segundo plano. "A coisa que eu mais sinto falta é do hospital. Por enquanto não penso em voltar, mas sinto muita falta. Vou a eventos e as pessoas falam que querem me ver na TV", diz ela, que começou a fazer curso de teatro para alcançar seus objetivos.

Mãe de meninos

Como mãe, Angélica diz é do tipo que brinca muito com os filhos, mas que educa também. "Eu sou bem dura com eles. Eles só têm a mim como referência, não é fácil criar dois filhos meninos sem uma referência masculina. Minha preocupação é que eles tratem bem os outros e que sejam melhores amigos e unidos. Eu os crio para o mundo, para que cresçam, estudem, trabalhem e sejam felizes. Eu pego no pé com escola, mas sempre tem a hora de brincar", diz ela, que conta com a ajuda da mãe, Carmem Ramos, na criação dos meninos. "Eu sou mais dura com eles do que minha mãe, que é avó do tipo doce. Mas nunca tive babá, acho importante a mãe cuidar da educação. Eu coloco pra dormir, dou banho, dou comida, faço tudo", garante ela.

A mãe de Angélica, aliás, é só elogios para a filha. "Ela é exigente como mãe, mas brinca bastante com eles, é uma excelente mãe. Como filha, Angélica é muito sincera, inteligente, cuida muito bem de mim. Eu a admiro muito e só tenho coisas boas para falar dela", orgulha-se Carmem.

"Me chamam de macaca, horrorosa, careca"

Segundo Angélica, o fato de ser negra e ex-BBB gera preconceitos, e isso pode ser um complicador na hora de trilhar o caminho artístico. Mas ela garante que não se abala."Existe preconceito, sim. Ser ex-BBB não é profissão, mas me abriu muitas portas. Existe rivalidade e concorrência no meio artístico. E também tem aqueles que me chamam de 'macaca', 'horrorosa', 'careca'. É difícil lidar com isso, mas quando você sabe quem você é e de onde você veio, fica mais fácil. O preconceito existe, mas não quero levantar a bandeira de coitadinha.

 Quero me destacar de uma forma bacana, ser exemplo de superação", diz ela, que se inspira na também ex-BBB e atriz Juliana Alves. "Acho que faltam talentos negros na TV, não há renovação como há de atrizes loiras e de olhos claros. O importante é fazer bem qualquer trabalho, por isso quero estudar", avalia.

"Eu sou muito intensa"

Enquanto a grande oportunidade não chega, Angélica tem colhido os frutos da participação no "Big Brother" e tem feito presenças VIP para aproveitar a popularidade. Da experiência na casa, segundo ela, ficou a amizade com Tamires, Adrilles e Douglas. "Tenho contato com eles, que são incríveis, o Douglas me curte e me defende. A filha da Tami é amiguinha dos meus filhos e nos falamos todos os dias o tempo todo", conta ela.

Além das amizades, para Angélica a participação no reality show também deixou lições. "O autoconhecimento é a maior lição que tirei do 'BBB'. Sempre fui de não levar desaforo para casa. Hoje já sei que não preciso gritar para fazer isso. Eu sempre fui ligada no 220, mas hoje estou no 110. Eu não ganhei um milhão, mas ganhei esse autoconhecimento", afirma ela. E o que Angélica faria diferente? "Tentaria sair do 220 e entrar no 110 por um período. Nem todo mundo está acostumado com meu jeito e de cara eu choco. Claro que também nunca vou ser uma mocinha, eu sou muito intensa."

Assédio de homens e mulheres

A popularidade também tem feito com que ela seja mais assediada nas ruas, como era de se esperar. "Eu nunca fui tão cantada. Por homens e mulheres! Depois que eu saí do programa e coloquei silicone, recebo mensagens nas redes sociais com pedidos de casamento, de namoro, declarações de amor, é muito bom!", diverte-se. "Mulher é mais cara de pau, teve uma que foi tirar foto comigo e ficou me alisando", diz ela, que está "solteiríssima" e feliz. "Meu foco agora é trabalhar e cuidar dos meninos."

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO