Mato Grosso, 16 de Janeiro de 2019
Mato Grosso
Lucas do Rio Verde tem segundo IDH de Mato Grosso e 249º do país
30.07.2013
09:04
FONTE: ExpressoMT com Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

O município de Lucas do Rio Verde foi classificado como sendo o 249º do país em Desenvolvimento Humano, sendo o segundo melhor IDH do Estado, atrás apenas da capital, Cuiabá. Os dados fazem parte do estudo divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgado nesta segunda-feira (29), denominado 'Atlas de 2013' e que avalia o índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). O índice alcançado foi de 0,768 enquanto Cuiabá obteve 0,785. O índice alcançado por Lucas do Rio Verde foi considerado alto, classificado entre 0,700 e 0,799. 

Entre 2000 e 2010, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,225), seguida por Renda e por Longevidade. Entre 1991 e 2000, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,166), seguida por Longevidade e por Renda. Nesse período, o IDHM passou de 0,658 em 2000 para 0,768 em 2010 - uma taxa de crescimento de 16,72%. O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 32,16% entre 2000 e 2010.

Entre 1991 e 2010
Lucas do Rio Verde teve um incremento no seu IDHM de 39,89% nas últimas duas décadas, abaixo da média de crescimento nacional (47,46%) e abaixo da média de crescimento estadual (61,47%). O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 48,56% entre 1991 e 2010.

Ranking
Lucas do Rio Verde ocupa a 249ª posição, em 2010, em relação aos 5.565 municípios do Brasil, sendo que 248 (4,46%) municípios estão em situação melhor e 5.317 (95,54%) municípios estão em situação igual ou pior. Em relação aos 141 outros municípios de Mato Grosso, Lucas do Rio Verde ocupa a 2ª posição, sendo que 1 (0,71%) municípios estão em situação melhor e 140 (99,29%) municípios estão em situação pior ou igual.

População
Entre 2000 e 2010, a população de Lucas do Rio Verde teve uma taxa média de crescimento anual de 8,96%. Na década anterior, de 1991 a 2000, a taxa média de crescimento anual foi de 12,50%. No Estado, estas taxas foram de 1,02% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e 2000. No país, foram de 1,01% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e 2000. Nas últimas duas décadas, a taxa de urbanização cresceu 43,98%.

Estrutura Etária
Entre 2000 e 2010, a razão de dependência de Lucas do Rio Verde passou de 51,86% para 37,89% e o índice de envelhecimento evoluiu de 1,88% para 2,21%. Entre 1991 e 2000, a razão de dependência foi de 63,76% para 51,86%, enquanto o índice de envelhecimento evoluiu de 1,46% para 1,88%.

Longevidade, mortalidade e fecundidade
A mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano) em Lucas do Rio Verde reduziu 10%, passando de 17,2 por mil nascidos vivos em 2000 para 15,4 por mil nascidos vivos em 2010. Segundo os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, a mortalidade infantil para o Brasil deve estar abaixo de 17,9 óbitos por mil em 2015. Em 2010, as taxas de mortalidade infantil do estado e do país eram 16,8 e 16,7 por mil nascidos vivos, respectivamente.

A esperança de vida ao nascer é o indicador utilizado para compor a dimensão Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Em Lucas do Rio Verde, a esperança de vida ao nascer aumentou 5,1 anos nas últimas duas décadas, passando de 69,9 anos em 1991 para 73,3 anos em 2000, e para 75,0 anos em 2010. Em 2010, a esperança de vida ao nascer média para o estado é de 74,3 anos e, para o país, de 73,9 anos.

Educação
A proporção de crianças e jovens frequentando ou tendo completado determinados ciclos indica a situação da educação entre a população em idade escolar do município e compõe o IDHM Educação. 

No período de 2000 a 2010, a proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola cresceu 38,46% e no de período 1991 e 2000, 314,56%. A proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental cresceu 28,40% entre 2000 e 2010 e 31,28% entre 1991 e 2000. 

A proporção de jovens entre 15 e 17 anos com ensino fundamental completo cresceu 48,82% no período de 2000 a 2010 e 39,52% no período de 1991 a 2000. E a proporção de jovens entre 18 e 20 anos com ensino médio completo cresceu 58,11% entre 2000 e 2010 e 114,33% entre 1991 e 2000.

Em 2010, 67,33% dos alunos entre 6 e 14 anos de Lucas do Rio Verde estavam cursando o ensino fundamental regular na série correta para a idade. Em 2000 eram 63,36% e, em 1991, 37,82%. Entre os jovens de 15 a 17 anos, 41,93% estavam cursando o ensino médio regular sem atraso. Em 2000 eram 26,46% e, em 1991, 13,67%. Entre os alunos de 18 a 24 anos, 9,18% estavam cursando o ensino superior em 2010, 4,10% em 2000 e 0,71% em 1991. 

O estudo observa que, em 2010 , 2,50% das crianças de 6 a 14 anos não frequentavam a escola, percentual que, entre os jovens de 15 a 17 anos atingia 19,42%.

População Adulta
A escolaridade da população adulta é importante indicador de acesso a conhecimento e também compõe o IDHM Educação. 

Em 2010, 62,36% da população de 18 anos ou mais de idade tinha completado o ensino fundamental e 43,00% o ensino médio. Em Mato Grosso, 53,20% e 35,59% respectivamente. Esse indicador carrega uma grande inércia, em função do peso das gerações mais antigas e de menos escolaridade. 

A taxa de analfabetismo da população de 18 anos ou mais diminuiu 2,25% nas últimas duas décadas.

Anos Esperados de Estudo
Os anos esperados de estudo indicam o número de anos que a criança que inicia a vida escolar no ano de referência tende a completar. Em 2010, Lucas do Rio Verde tinha 10,21 anos esperados de estudo, em 2000 tinha 10,04 anos e em 1991 9,00 anos. Enquanto que Mato Grosso, tinha 9,29 anos esperados de estudo em 2010, 9,02 anos em 2000 e 8,16 anos em 1991.

Renda
A renda per capita média de Lucas do Rio Verde cresceu 56,33% nas últimas duas décadas, passando de R$600,41 em 1991 para R$750,50 em 2000 e R$938,65 em 2010. A taxa média anual de crescimento foi de 25,00% no primeiro período e 25,07% no segundo. A extrema pobreza (medida pela proporção de pessoas com renda domiciliar per capita inferior a R$ 70,00, em reais de agosto de 2010) passou de 5,57% em 1991 para 0,57% em 2000 e para 1,45% em 2010. 

A desigualdade diminuiu: o Índice de Gini passou de 0,61 em 1991 para 0,53 em 2000 e para 0,46 em 2010.

Entre 2000 e 2010, a taxa de atividade da população de 18 anos ou mais (ou seja, o percentual dessa população que era economicamente ativa) passou de 73,32% em 2000 para 78,86% em 2010. Ao mesmo tempo, sua taxa de desocupação (ou seja, o percentual da população economicamente ativa que estava desocupada) passou de 3,36% em 2000 para 4,95% em 2010.

Em 2010, das pessoas ocupadas na faixa etária de 18 anos ou mais, 12,82% trabalhavam no setor agropecuário, 0,13% na indústria extrativa, 17,80% na indústria de transformação, 8,80% no setor de construção, 0,41% nos setores de utilidade pública, 16,77% no comércio e 37,19% no setor de serviços.

IDH ranking nacional
Nova Mutum 0,758 400
Rondonópolis 0,755 453
Sinop 0,754 467
Primavera do Leste 0,752 508
Campo Verde 0,750 551
Barra do Garças 0,748 583
Campos de Júlio 0,744 667
Sorriso 0,744 667

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO