Mato Grosso, 24 de Novembro de 2017
Nacional / Internacional
Ministro do STF aceita pedido de liberdade, mas Duque permanecerá preso
20.04.2017
15:19
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • rio358804

    O ex-diretor de serviço da Petrobras, Renato Duque, chega à sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro após ser preso na operação Lava-Jato (Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo)

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) , aceitou um dos pedidos de liberdade apresentados à Justiça pela defesa do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Apesar da decisão favorável, Duque permanecerá preso em Curitiba.

 

Isso porque o ex-diretor da Petrobras é alvo de outro decreto de prisão preventiva ainda válido, assinado pelo juiz Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na primeira instância.

 

A decisão de Marco Aurélio, registrada no última segunda-feira (17), está ligada a uma prisão na Operação Sangue Negro, que investiga o desvio de dinheiro de contratos da Petrobras para o pagamento de propina a partir de 1997, ainda no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

 

Nessa época, Duque já se encontrava preso em Curitiba por um decreto de Moro de novembro de 2014, ainda válido.

 

O despacho de Marco Aurélio diz que a liberdade não seria possível se já houvesse outro prisão decretada, como é o caso do ex-diretor da Petrobras.

 

Delação

De acordo com informações do colunista do G1 Matheus Leitão, Duque, que já meses negociava com o Ministério Público Federal, não conseguiu fechar acordo de delação premiada.

 

Segundo um dos integrantes da força-tarefa ouvidos pelo blog do Matheis Leitão, apesar das muitas conversas com o ex-diretor, a colaboração “não evoluiu”.

 

Os investigadores avaliaram que as informações levadas por Duque não traziam nenhuma novidade que contribuiria para o caso. Basicamente, eles já tinham descoberto tudo que foi apresentado.

 

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO