Mato Grosso, 20 de Setembro de 2019
Economia / Agronegócio
Produção industrial tem queda em 8 de 15 regiões em julho, aponta IBGE
10.09.2019
09:28
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Maiores quedas foram registradas no Amazonas (-6,2%) e em Pernambuco (-3,9%). Já as maiores altas ocorreram no Rio de Janeiro (6,8%) e em Mato Grosso (5,5%). - Foto: Agência Brasil

    Maiores quedas foram registradas no Amazonas (-6,2%) e em Pernambuco (-3,9%). Já as maiores altas ocorreram no Rio de Janeiro (6,8%) e em Mato Grosso (5,5%). - Foto: Agência Brasil

A produção industrial registrou queda na passagem de junho para julho em 8 das 15 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta o levantamento divulgado nesta terça-feira (10).

 

As maiores quedas foram no Amazonas (-6,2%) e em Pernambuco (-3,9%). Já as maiores altas foram no Rio de Janeiro (6,8%) e em Mato Grosso (5,5%).

 

Em julho, a indústria nacional registrou a terceira queda seguida na produção, com recuo de 0,3%, na comparação com o mês imediatamente anterior, conforme divulgado anteriormente pelo IBGE. No acumulado no ano, o recuo chega a 1,7%, o que mantém a indústria no nível de janeiro de 2009.

 

A região Nordeste (-2,6%), Rio Grande do Sul (-2,4%), Ceará (-1,5%), São Paulo (-1,4%) e Bahia (-1,3%) também recuaram abaixo da média nacional em julho, enquanto Santa Catarina caiu 0,3%.

 

Fabricação de veículos ameniza queda da indústria paulista

"São Paulo, que representa cerca de 34% da indústria do país, teve sua terceira queda consecutiva, de 1,4%, acumulando perda de 3,7% entre maio e julho, que só não foi maior devido à alta na fabricação de veículos do estado", informou o IBGE.

 

No Rio de Janeiro, a alta foi puxada pela indústria extrativa de petróleo e pela atividade de refino. A alta de 6,8% em julho eliminou totalmente a perda de 5,8% ocorrida na indústria fluminense no mês anterior.

 

No acumulado do ano, 10 dos 15 locais têm queda, com destaque para Espírito Santo (-12,2%) e Minas Gerais (-4,7%), pressionados, principalmente, pelo tombo das indústrias extrativas e celulose.

 

Na outra ponta, os destaques positivos foram Paraná e Rio Grande do Sul, com alta acumulada em 7 meses de 7,2% e 6,9%, respectivamente, impulsionados pela produção de veículos automotores, reboques e carrocerias, produtos alimentícios e máquinas e equipamentos.

 

Confira o resultado de julho por região pesquisada:

  • Amazonas: -6,2%
  • Pará: 0,5%
  • Região Nordeste: -2,6%
  • Ceará: -1,5%
  • Pernambuco: -3,9%
  • Bahia: -1,3%
  • Minas Gerais: 0,3%
  • Espírito Santo: 1,7%
  • Rio de Janeiro: 6,8%
  • São Paulo: -1,4%
  • Paraná: 2%
  • Santa Catarina: -0,3%
  • Rio Grande do Sul: -2,4%
  • Mato Grosso: 5,5%
  • Goiás: 1,7%

 

Os economistas do mercado financeiro passaram a projetar uma contração da produção industrial em 2019, segundo o relatório "Focus" do Banco Central (BC). Os analistas esperam agora uma queda de 0,29% na produção industrial no ano, ante previsão de alta 0,08% na semana anterior. No início do ano, a expectativa do mercado era de uma alta de 3,04%.

 

"Diante da sequência de meses frustrantes, com variações negativas em 5 dos 7 meses com dados do IBGE, na série com ajuste sazonal, a indústria caminha para um ano sem crescimento, mesmo que haja alguma melhora do quadro daqui até dezembro", avaliou em nota o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi).

 

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO