Mato Grosso, 10 de Dezembro de 2018
Nacional / Internacional
Saiba como solicitar a transferência da bolsa do ProUni para outro curso
09.08.2018
08:09
FONTE: Governo do Brasil

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • 53dcdb41_52a0_456d_88fa_b1ee2b99550f

    ProUni foi criado pelo Governo do Brasil em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096 em janeiro de 2005 - Foto: Agência Brasil

Criado pelo Governo Federal em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096 em janeiro de 2005, o Programa Universidade para Todos (ProUni) ofereceu, desde sua criação até o segundo semestre deste ano, mais de 3,6 milhões de bolsas integrais e parciais em instituições privadas de ensino superior. Muitos desses bolsistas atendidos pelo programa não sabem, entretanto, que é possível solicitar a transferência de curso ou local. Conheça as situações em que isso é possível.

 

Transferência de curso

A legislação atual determina que o beneficiário do ProUni poderá transferir a bolsa para curso relacionado ao de origem, mesmo que para habilitação, turno, campus ou instituição de ensino diferentes. Não é permitido, por exemplo, que o aluno matriculado no curso de Direito faça a transferência para Medicina, ou vice-versa. A função de avaliar a afinidade entre os cursos é de responsabilidade de coordenadores das instituições de ensino e a análise é feita com base na documentação do aluno em processo de transferência.

 

As mudanças entre cursos afins são permitidas desde que as seguintes condições sejam atendidas: a instituição e o respectivo curso de destino estejam regularmente credenciados ao ProUni; exista vaga na opção de destino; haja anuência das instituições envolvidas. Para que a transferência seja feita, é necessário, ainda, que a proporção mínima legal entre os alunos pagantes e devidamente matriculados e os bolsistas seja preservada no curso de destino do estudante transferido.

 

Para iniciar o processo de transferência, o estudante deve procurar as instituições de ensino envolvidas no processo (entidades de origem e destino do bolsista). Não cabe, portanto, qualquer tipo de intermediação do Ministério da Educação (MEC).

 

Quando a transferência não é permitida

Os casos em que não é possível mudar de curso utilizando a bolsa do Prouni são:

 

• Transferência para bolsa de modalidade diferente daquela originalmente concedida (de bolsa integral para parcial ou vice-versa);

 

• Transferência para cursos enquadrados no § 4° do art. 7° da Lei nº 11.096, de 2005 - considerados insuficientes, segundo critérios de desempenho do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior, por duas avaliações consecutivas;

 

• Quando o número total de semestres já cursados ou suspensos for igual ou superior à duração máxima do curso de destino;

 

• Transferência de bolsa concedida por ordem ou decisão judicial;

 

• Se a nota média do bolsista no Enem for inferior à do último candidato aprovado no processo seletivo mais recente do ProUni, no mesmo curso. Somente a instituição pode decidir o contrário;

 

• Quando o bolsista tiver obtido o benefício na condição de professor da rede pública e quiser transferir-se para cursos que não sejam das áreas de licenciatura, normal superior ou pedagogia, destinados à formação do magistério da educação básica.

 

Instituições públicas

O bolsista do ProUni também pode solicitar a transferência para instituições públicas de ensino superior, desde que o estudante se submeta às regras da unidade de destino, que podem envolver, por exemplo, a realização de novas provas para o ingresso. O ProUni não oferece, contudo, qualquer tipo de vantagem aos bolsistas nesse processo. Caso o aluno tenha sucesso na transferência para uma universidade pública, ele deverá solicitar o encerramento da bolsa, uma vez que a concessão e a manutenção do benefício são proibidas para os estudantes que estiverem matriculados em instituições de ensino superior públicas e gratuitas.

 

Transferências excepcionais

Existem, ainda, casos excepcionais para concessão da transferência da bolsa do ProUni. Eles acontecem nas seguintes situações:

 

• Se o curso for extinto em função de fusão ou incorporação da instituição de ensino;

 

• Se as atividades da instituição forem encerradas;

 

• Se o estudante for servidor público e mudar de sede por interesse da administração;

 

• Se houver remoção ou transferência de ofício de servidor público federal civil ou militar estudante, ou seu dependente estudante, que acarrete mudança de domicílio.

 

No momento em que a transferência for efetivada, o prazo de uso da bolsa passará a ser o tempo do curso de destino, descontado o período utilizado e suspenso no curso de origem.

 

Vale destacar ainda que, para todos os casos em que a legislação permite a transferência da bolsa, é proibida a cobrança de qualquer tipo de taxa de matrícula como condição para que os pedidos de emissão dos documentos de transferência sejam apreciados.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO