Mato Grosso, 20 de Julho de 2018
Variedades
Sinusite: saiba mais sobre a doença que levou Safadão para o hospital
26.06.2018
09:37
FONTE: R7

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • wesley_safadao_04052018162201831

    Cantor teve uma crise de sinusite e precisou ser internado Divulgação

O cantor Wesley Safadão deu um susto nos fãs esta semana. Na noite de segunda-feira (18), ele precisou ir para o hospital de Fortaleza, no Ceará, por causa de uma crise de sinusite aguda.

 

Depois de passar a noite internado, de acordo com a assessoria de imprensa do artista, ele passou por uma série de exames e teve alta na terça-feira (19) pela manhã.

 

Apesar da crise, Safadão não cancelou a agenda e fez show em Patos, na Paraíba. Horas antes, chegou a publicar uma foto nas redes sociais falando que estava no aquecimento: “Vamos com tudo!”

 

Rinite pode ser confundida com sinusite

A sinusite é uma infecção que acontece nos seios da face, os espaços que existem nos ossos cranianos, em volta do nariz e nas maçãs do rosto e servem para dar ressonância à voz.

 

Essas cavidades são revestidas por uma mucosa muito parecida com a que reveste o nariz. É aí que pode acontecer a infecção por vírus ou bactéria.

 

De acordo com a otorrinolaringologista Maura das Neves, do Hospital Universitário da USP, o principal sintoma é a secreção, um catarro escuro, amarelado, que escorre pelo nariz e pela garganta.

 

“Alguns pacientes podem ter dor de cabeça, às vezes muito forte, tosse e febre, mas isso não é mandatório. Algumas pessoas têm sinusite sem estes outros sintomas”, explica a médica.

 

Maura explica que é comum as pessoas confundirem os sintomas e pensarem que estão com sinusite, mas nem sempre se trata desta doença.

 

“As pessoas confundem os sintomas, sentem dor de cabeça forte e acham que é sinusite, mas muitas vezes é um resfriado, rinite, ou até mesmo uma alergia. O melhor é procurar um médico para ter o diagnóstico correto”.

 

Existem dois tipos de sinusite, a crônica e a aguda. A diferença é o tempo de duração dos sintomas.

 

Na sinusite crônica, a secreção costuma durar por mais de três meses, de maneira contínua.

 

Na sinusite aguda, os sintomas duram menos tempo, por um período que varia entre 5 dias a um mês.

 

O diagnóstico deve ser feito por um médico, a partir da avaliação do quadro clínico e do histórico do paciente. Se for preciso, exames complementares podem auxiliar na confirmação da sinusite, como a endoscopia do nariz e a tomografia da face.

 

O tratamento vai depender do tipo de infecção, se ela foi causada por vírus ou por bactéria. Nos dois casos, são usados remédios para dor e soro no nariz.

 

Se a sinusite for bacteriana, o médico pode receitar um antibiótico.

 

Em casos raros, a sinusite pode evoluir e causar complicações como pneumonia ou meningite. Outra possibilidade é a infecção migrar para a região em volta dos olhos, que podem ficar bem inchados.

 

“É importante destacar que isso é raro, mas pode acontecer quando o paciente não faz um tratamento adequado. Às vezes, no caso da sinusite crônica, o paciente não tem febre e dor e vai levando os sintomas, sem procurar um médico – nesses casos, a doença pode, sim, evoluir”, alerta a otorrinolaringologista.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO