Mato Grosso, 22 de Outubro de 2017
Mato Grosso
Três candidatos disputam eleição suplementar em Alto Taquari (MT)
18.06.2017
08:52
FONTE: G1MT

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • alto_taquari

    Mais de 6,5 mil eleitores devem escolher novo prefeito de Alto Taquari no dia 2 de julho (Foto: TRE-MT/Divulgação)

Três candidatos tiveram as chapas deferidas pela Justiça Eleitoral e disputam a eleição suplementar em Alto Taquari, a 509 km de Cuiabá, que será realizada no dia 2 de julho. A nova eleição foi agendada após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manter a cassação do registro eleitoral do prefeito eleito Lairto Sperandio (DEM). De acordo com o órgão, Lairto estava com a filiação partidária suspensa quando foi eleito. O G1 não conseguiu localizar a defesa de Lairto.

 

Os candidatos Mauro Andrade da Silva Barbosa (PSD), Fabio Mauri Garbugio (PTB) e Vanderley Santeiro Teodoro (PSDB) disputam os votos de 6.565 eleitores pelo cargo de prefeito de Alto Taquari. Aquele que for eleito para o cargo, deverá governar o município até dezembro de 2020.

 

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), Mauro Barbosa e Leandro Alves Almeida disputam, respectivamente, os cargos de prefeito e vice-prefeito pela Coligação "Para mudar temos que lutar", formada pelos partidos PSD, PPS e PSB.

Já Fabio Garbugio e Marco Aurélio Julien são os candidatos a prefeito e vice-prefeito pela coligação "Vamos Juntos", composta pelo PRB, PTB, PT, PDT e DEM.

 

Os candidatos Vanderley Santeiro e Gregório Tolentino Moretti de Almeida concorrem aos cargos de prefeito e vice-prefeito pela coligação "Novos tempos, novos sonhos e novos projetos", formada pelo PP, PMDB, PR, PSDB e PSC.

 

Impugnação

Após ser eleito, Lairto Sperandio chegou a ser empossado no dia 1º de janeiro e permaneceu no cargo por 10 dias. O Tribunal Superior Eleitoral, no entanto, entendeu que ele não deveria assumir o cargo, já que estava com a filiação partidária suspensa no período estabelecido pela Justiça.

 

Os recursos impetrados pela defesa de Lairto foram rejeitados por unanimidade pelo TSE. Ele havia tomado posse no dia 1º de janeiro e permaneceu no cargo por 10 dias. A decisão foi proferida no dia 19 de dezembro, porém, como o TRE estava em recesso quando o órgão superior decidiu que Lairto não deveria ser empossado, ele permaneceu no cargo durante o julgamento do processo.

 

Lairto havia sido eleito pela quarta vez. Anteriormente, ele ocupou a cadeira de 1988 a 1992. Depois, voltou e permaneceu por dois mandatos seguidos, de 2001 a 2008.

 

Por unanimidade, o TSE rejeitou os recursos impetrados pela defesa do prefeito eleito. Com isso, o presidente da Câmara de Vereadores passou a ocupar o cargo até que as novas eleições sejam realizadas.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO