Mato Grosso, 20 de Março de 2019
Economia / Agronegócio
Uma evolução no mercado de tratores
19.09.2012
08:45
FONTE: AGROLINK

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

Ao longo do tempo e da história, a tecnologia tem passado por substanciais mudanças, as quais visam acompanhar as transformações evolutivas vivenciadas pelas sociedades. Parte dessa evolução é o trator, máquina que exerce tração possibilitando a execução do trabalho produtivo com conforto ao operador, multiplicando a força humana. Um progresso que pode ser exemplificado pela presença da Valtra no Brasil, marcada pela inovação e pioneirismo tecnológico.

De acordo com Jak Torretta, diretor de produto AGCO América do Sul, a história no Brasil começa em 1957 com a Valmet, quando a empresa finlandesa começou a exportar seus tratores para o país. Em 1960, com os incentivos dados às empresas estrangeiras para se fixarem aqui, a marca tornou-se a primeira montadora de tratores no País, escolhendo município de Mogi das Cruzes, em São Paulo, para se instalar. O primeiro modelo a sair da linha de montagem de Mogi das Cruzes foi o Valmet 360, que já trazia inovações características da marca, como por exemplo, o tanque estrutural central de combustível.

Já nos anos 70, com o avanço da fronteira agrícola para o Centro-Oeste brasileiro, começam a surgir demandas por tratores mais potentes e equipados com mais tecnologia. Em resposta às novas exigências dos produtores brasileiros, a então Valmet fabrica os primeiros tratores do Brasil com injeção direta, os modelos 60ID e 80ID, logo em seguida o primeiro trator 6 cilindros, o primeiro 4x4 e o primeiro 6 cilindros turbo. Em 1993, o mercado brasileiro foi novamente surpreendido com o 980 Turbo, o primeiro trator com transmissão powershift do Brasil. Quatro anos depois, a Valmet passa a se chamar Valtra. 

Torretta observa que nos últimos 15 anos o mercado nacional de máquinas agrícolas mudou bastante, entrando em um novo patamar de produção e comercialização. “Na década de 90, por exemplo, a indústria chegou a vender de 12 a 15 mil unidades. Hoje, esse número já saltou para mais de 50 mil”, frisa. A intensificação da mecanização das lavouras e o investimento em novas tecnologias alavancaram a produtividade da agricultura nacional e tornaram o país um dos grandes players do agronegócio mundial.

Nesse contexto destaca-se a preocupação da Valtra em desenvolver e comercializar tecnologias que, de fato, são acessíveis ao produtor. Tecnologias que vão assegurar efetivamente a diminuição de custos de produção e o ganho de produtividade na lavoura. Em mais de 50 anos de história no País, a marca tornou-se uma das líderes no mercado de tratores e referência em inovação e confiabilidade. Possui um portfólio de tratores para todos os segmentos de potência, com os modelos leves das Séries A e BF, os modelos médios BM, sendo o BM 125i líder de mercado em seu segmento de potência e o primeiro trator de 4 cilindros Turbo-intercooler de 125 cv, e a linha pesada representada pelos modelos BH e BT HiSix e, agora, a nova Série S, lançada neste ano. 

O diretor de produto AGCO América do Sul destaca que os tratores de alta potência da Série S estão entre os modelos com maior tecnologia do mundo e por isso a Valtra decidiu trazê-los para o Brasil para atender a uma demanda crescente por máquinas mais potentes e equipadas com tecnologia de ponta. “Essas máquinas contam, por exemplo, com uma transmissão inteligente que busca o equilíbrio entre potência do motor e torque, otimizando o consumo de combustível”, diz Torretta. Os modelos S293 e S353 trazidos da Europa estão equipados com motor eletrônico AGCO Power 84 WI – 4V, Tier 2, que garante baixa emissão de gases poluentes. 

A indústria caminha para o desenvolvimento de tecnologias que proporcionarão o consumo de energias mais

limpas, ao mesmo tempo em que promoverão o aumento de produtividade com menos tempo de operação. Tendências observadas pela Valtra e que foram levadas em consideração para o desenvolvimento do projeto ANTS (plural de formiga, em inglês), conceito de máquina agrícola que antecipa as necessidades futuras dos agricultores. “O ANTS é uma máquina multifuncional projetada para desempenhar grande parte das operações agrícolas necessárias ao processo produtivo, desde o preparo do solo até o transbordo do produto colhido. Isso porque tanto a agricultura familiar quanto a industrial procuram a otimização dos processos gerados por um conjunto de equipamentos, de forma a aproveitar melhor as janelas agrícolas”, explica Torretta. 


A Valtra continua apostando no desenvolvimento de soluções e tecnologias que ajudem a agricultura nacional a alcançar maiores patamares de produtividade e competitividade de forma sustentável. “Afinal, daqui para frente, a grande aposta do mundo é que o Brasil assuma, definitivamente, sua posição como um dos maiores fornecedores de alimentos do mundo”, finaliza. 

Saiba mais:

No último dia 12 de setembro foi comemorado o Dia do Trator. Os primeiros tratores que se tem registro usavam motores a vapor, que eram fracos, e tinham rodas fininhas, que afundavam na terra. A primeira versão com motor a gasolina foi criado pelo americano John Froelich, que o batizou de "máquina de tração". Mas um revendedor não gostou do nome e inventou uma palavra: trator. A Ford foi a primeira fabricante em série de tratores com motor a gasolina em 1912. 

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO