Mato Grosso, 20 de Julho de 2018
Variedades
Uso diário de cinta modeladora pode causar flacidez abdominal
04.07.2018
09:11
FONTE: R7

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • cinta

    ilustração

O uso diário da cinta modeladora pode causar flacidez abdominal e atrofia muscular lombar, segundo especialistas.

 

O acessório ortopédico, cuja principal finalidade é ajudar a cicatrização e prevenir a formação de hérnias após cirurgias abdominais, vem sendo utilizado por muitas mulheres com fins estéticos – para criar uma “cintura de pilão”.

 

Seu uso temporário e esporádico, ou seja, durante algumas horas em uma festa para a barriguinha não marcar um vestido, por exemplo, não traz maiores consequências, de acordo com ortopedista Alexandre Stivanin, da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)

 

“A utilização contínua desse tipo de cinta pode trazer problemas, pois ela impede o desenvolvimento dos músculos abdominais e da lombar, levando, a longo prazo, à flacidez dessas regiões”, afirma.

 

A cinta modeladora também tem sido utilizada durante a prática de exercícios de musculação. O ortopedista explica que esse uso não é adequado e que, inclusive, pode ser prejudicial à saúde. “Não deixa a caixa torácica se ampliar, provocando dificuldade respiratória podendo provocar até uma hipóxia, diminuição da quantidade de oxigênio no sangue”, afirma.

 

O cirurgião plástico Wendell Uguetto, do Hospital Israelita Albert Einstein, ressalta que há dois tipos de cinta: a modeladora e a estabilizadora. A modeladora é indicada apenas no pós-operatório e pode ser utilizada eventualmente com fins estéticos, por no máximo 2 horas. Já a estabilizadora é própria para ser utilizada na academia.

 

“Geralmente é utilizada para levantamento de peso livro. Dá estabilidade e alinhamento à área lombar até que se desenvolva a musculatura da região. É um modo de não danificar a coluna”, afirma. 

 

“Essa cinta ainda auxilia na execução correta dos movimentos, ajudando o momento do arranque principal do movimento, sem o risco de comprometer a técnica e ainda estabilizando todo o tronco na fase de maior força, que é quando podemos causar as lesões”, completa.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO