Mato Grosso, 27 de Julho de 2021
Economia
Empréstimos de até R$ 5 mil são postos à disposição para microempreendedores e autônomos
22.06.2021
FONTE: Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Foto: Divulgação

O panorama não está sendo alentador em termos econômicos, principalmente para as pequenas empresas e empreendimentos. É que depois de mais de um ano convivendo com os efeitos e limitações da pandemia, são muitos os que não poderiam aguentar por muito tempo.

 

Em termos gerais, a crise econômica tem reduzido praticamente à metade o número de pequenos negócios no Brasil. Como informou o Sebrae mediante um relatório feito em conjunto com a Global Entrepreneurship Monitor (GEM), os empreendedores com negócios ativos num período mínimo de três anos passaram de 22,3 milhões em 2019 para 12 milhões no ano passado. Mais de 10 milhões de fontes de ingresso para inúmeras famílias foram perdidas.

 

A modo de ajuda, e no intuito de tentar manter em pé os pequenos empreendimentos, os governos dos diversos estados, assim como o federal, têm anunciado linhas de apoio financeiro para diversos perfis: créditos para empresários, para MEIs (Microempreendedor individual), pequenas e médias empresas, etc.

 

Dentre as últimas linhas oferecidas pelos diferentes órgãos governamentais destaca o chamado Ceará Credi. Trata-se de um programa criado pelo Governo daquele estado, por meio da Agência de Desenvolvimento (ADECE), e em parceria com o Instituto E-Dinheiro, para o fortalecimento dos pequenos negócios da região. A intenção é conceder não só crédito, mas também capacitação para microempreendedores. 

 

O financiamento pode ser solicitado por MEIs (microempreendedor individual), empreendedores informais, trabalhadores autônomos, desempregados ou agricultores familiares.

 

Enquanto aos valores liberados e condições, eles variam dependendo do destino do dinheiro. Se ele for contratado para utilizá-lo como capital de giro (por exemplo para comprar mercadorias para revenda ou matéria-prima para produzir) o crédito pode ir de R$500 até R$3.000 com um período de carência de dois meses (me que a pessoa nao paga o crédito) e parcelamento de 4 a 9 meses para a devolução. Já se o objeto do empréstimo for investimento fixo (ex. compra de ferramentas) os valores entregues variam de R$1.000 até R$5.000, o prazo de carência chega até 4 meses e a devolução pode ser feita em 12 a 24 parcelas. Os detalhes das condições serão determinadas pela atividade produtiva e a capacidade de pagamento do empreendimento.

 

Um dos principais atrativos do programa é o fato de não haver cobrança de taxas de juros sobre até dezembro de 2021. Mais uma novidade é que, os interessados em obter o crédito precisam passar, previamente, por um curso gratuito de educação financeira e criação de plano de negócios para dar uma melhor orientação ao pedido do crédito.

 

Como outra forma de brindar apoio aos pequenos negócios, muitos estados também se voltaram para o mecanismo dos auxílios emergenciais. É o caso do Governo do Paraná, por exemplo, que anunciou este benefício destinado aos MEIs e microempresas. No programa serão entregues valores de R$250 por dois ou quatro meses dependendo do setor e tamanho da empresa. A medida adiciona-se à linha de crédito já existente para este tipo de empreendedores.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

ARTIGOS RELACIONADOS
ENVIE SEU COMENTÁRIO