Mato Grosso, 25 de Maio de 2020
Esportes
CEO da McLaren diz que Renault "nem tem o que pensar" para contratar Alonso em 2021
19.05.2020
10:16
FONTE: GloboEsporte

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • CEO da McLaren diz que Renault "nem tem o que pensar" para contratar Alonso em 2021

    Alonso e Zak Brown trabalharam juntos na McLaren até 2018 — Foto: Reprodução

CEO da McLaren, última equipe de Fernando Alonso na Fórmula 1, entre 2015 e 2018, Zak Brown disse que a Renault nem deveria pestanejar em relação à contratação do espanhol. A equipe francesa perdeu Daniel Ricciardo justamente para a McLaren, e, com isso, uma vaga em potencial para a volta do bicampeão à F1 se abriu. Para Brown, a Renault deveria contratar seu ex-piloto.

 

- Sim, eu falei com ele outro dia e eu estava meio que bisbilhotando. Acho que ele está indeciso, e se eu estivesse dirigindo a Renault, seria quem eu colocaria no carro: grande nome, rápido como qualquer um, venceu dois campeonatos com eles, então ele tem história. Então, do ponto de vista da Renault, nem tem o que pensar para colocá-lo lá - disse Brown à TV inglesa Sky Sports .

 

Apesar de elogiar seu antigo piloto, Brown só tem dúvidas em relação à motivação de Alonso em pilotar um carro capaz de brigar apenas no meio do grid e não por vitórias e títulos - o espanhol completará 39 anos em julho:

 

- Fernando quer voltar às 22 corridas com um carro que ainda não parece capaz de vencer? Dada a estatura de Fernando, o que o levaria a voltar é se ele acha que pode estar no topo do pódio. Dado que a Renault está em uma jornada semelhante de volta à frente, e acho que eles chegarão lá - eles são uma ótima equipe, ótimos recursos, ótima empresa em que estiveram lá, fizeram isso antes. Não sei se Fernando tem o apetite de fazer em 2021 uma viagem de três anos contra entrar em um carro ele pode ganhar.

 

Fernando Alonso fez sua última corrida de Fórmula 1 em 2018, em Abu Dhabi, pela McLaren. De lá para cá, o espanhol se dedicou ao projeto pessoal de completar a Tríplice Coroa, ou seja, vencer o GP de Mônaco de F1 (ganhou em 2006 e 2007), as 24 Horas de Le Mans (venceu em 2018 e 2019) e as 500 Milhas de Indianápolis, que Alonso disputou em 2017 e falhou em se classificar para o grid em 2019.

 

Fora da F1, Alonso conquistou ainda o título do Mundial de Endurance (WEC) pela Toyota na temporada 2018/19 e participou do Rali Dakar deste ano, terminando em 13º lugar, com um segundo lugar numa das especiais também com um carro da montadora japonesa.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO