Mato Grosso, 30 de Setembro de 2020
Economia / Agronegócio
Conab estima safra de grãos 3,8% maior e recorde de produção no Brasil
11.02.2020
08:42
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Brasil deverá produzir mais 123 milhões de toneladas de soja — Foto: Enrique Marcarian/Reuters

    Brasil deverá produzir mais 123 milhões de toneladas de soja — Foto: Enrique Marcarian/Reuters

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) atualizou nesta terça-feira (11) a projeção da safra de grãos do país, iniciada no segundo semestre de 2019 e que termina em julho deste ano.

 

Segundo a Conab, a estimativa de produção recorde: 251,1 milhões de toneladas. Se confirmado, o resultado será 3,8% maior que na temporada passada. Isso significa 9,1 milhões de toneladas a mais.

 

Para área total, a estatal espera um incremento de 2,5%, alcançando cerca de 64,8 milhões de hectares, acréscimo de 1,6 milhão de hectares.

 

O que marca esta previsão são as boas condições climáticas que favorecem a recuperação das lavouras, abatidas na última temporada pela estiagem nos estados de maior produção.

 

O levantamento da Conab leva em conta o calendário de safra, que começa em julho e termina junho do ano seguinte. Diferentemente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que considera o que foi produzido durante os 12 meses do ano.

 

Soja

De acordo com a Conab, as lavouras de soja, que ocupam uma área 2,6% maior, começam a ser colhidas com uma boa produtividade, mantendo a tendência de crescimento das últimas safras.

 

A produção estimada é de 123,2 milhões de toneladas, o que também representa um recorde, graças à melhoria da distribuição das chuvas.

 

Milho

Já produção de milho de primeira, segunda e terceiras safras devem alcançar algo próximo a 100 milhões de toneladas, com um crescimento de 0,4%.

 

A estimativa de área do milho primeira safra é de 4,25 milhões de hectares, 3,4% maior que o da safra 2018/19. O impulso deve-se às boas cotações do cereal no mercado.

 

Arroz e feijão

O arroz entra na relação de beneficiados pelas condições climáticas, inclusive nas lavouras do Rio Grande do Sul, estado que produz mais de 80% do consumo nacional, com um aumento de 0,6% e produção de 10,51 milhões de toneladas.

 

Por outro lado, o feijão primeira safra perde 0,1% na área, alcançando 921,4 mil hectares, mas ganha 9,4% na produção com a ajuda da produtividade. A produção deve superar 1 milhão de toneladas. A segunda safra, que está em início de cultivo, deve ocupar a mesma área da safra passada de 1,4 milhão de hectares.

 

Algodão

Com relação ao algodão, que aproveita o espaço deixado pela colheita da soja, a expectativa é de um crescimento de 5,3% na área, chegando a cerca de 1,7 milhão de hectares.

 

A produção também bate recorde da série histórica, alcançando 2,82 milhões de toneladas de pluma. Por sua vez, o caroço chega a 4,23 milhões de toneladas, com 1,6% de crescimento frente à safra passada.

 

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO