Mato Grosso, 02 de Março de 2024
Política

Consultoria apresenta a vereadores estudo para nova concessão do transporte coletivo em Lucas do Rio Verde

15.01.2024
16:17
FONTE: Ascom Câmara

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Foto: Ascom Câmara LRV

    Foto: Ascom Câmara LRV

Os vereadores de Lucas do Rio Verde conheceram, hoje, detalhes do estudo que vai balizar o edital de licitação para a nova concessão do transporte público coletivo municipal. A apresentação foi feita por Cristina Afonso, diretora de Projetos da Memphis Engenharia, empresa que é de São Paulo e foi contratada pela Prefeitura para elaborar um diagnóstico e a minuta do edital de procedimento licitatório.

 

Segundo a empresa, um dos cenários para a nova concessão incluiria a modificação da Linha 600, para atender o bairro Bandeirantes, e um acréscimo de trajeto na Linha 400, para beneficiar o bairro Jardim Amazônia. Além disso, uma das propostas é de 100% da frota com ar condicionado, além de incremento de tecnologia nos ônibus.

 

Cristina apresentou alguns cenários, que resultam em diferentes investimentos por parte do município e quais tarifas seriam pagas pelo usuário em cada caso. Durante a apresentação, os parlamentares fizeram diversos questionamentos e apresentaram sugestões.

 

Agora, os dados do estudo serão apresentados à população no dia 5 de fevereiro, em uma audiência pública. Após as discussões, o Poder Executivo dará andamento à elaboração do projeto básico e da minuta do edital de licitação. O certame terá abrangência nacional e selecionará a empresa que irá assumir a operação das linhas.

 

Participaram da reunião a presidente do Legislativo, Sandra Barzotto, o vice, Daltro Figur, a primeira-secretária, Ideiva Foletto, o segundo-secretário, Gilson “Urso”, e os vereadores Márcio Albieri, Ademilson “Zinho”, além dos secretários municipais Wellington Souto (Desenvolvimento Econômico) e Marcos Vieira da Cunha (Segurança Pública).

 

A Viação Lucas, empresa que atualmente opera em Lucas do Rio Verde, assinou contrato em 2010, com prazo inicial de 12 anos. No início de agosto do ano passado, a concessionária notificou a prefeitura para oficializar a desistência da concessão. Para evitar a paralisação dos serviços, o município encaminhou um projeto de lei, que foi aprovado pela Câmara, prorrogando por até 12 meses o prazo de concessão, enquanto um novo edital é elaborado. 

 

 

Atualmente, os usuários pagam tarifa de R$ 4,50 quando adquirem as passagens por meio do Sistema de Bilhetagem Eletrônica. Já as passagens compradas durante os embarques custam R$ 5.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ENVIE SEU COMENTÁRIO