Mato Grosso, 06 de Março de 2021
Nacional / Internacional
Corrida para vacinação evidencia importância do planejamento logístico
12.02.2021
15:48
FONTE: Matheus Bongiovani | Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • 17

O avanço rápido da Covid-19 no Brasil tem feito as autoridades correrem contra o tempo para agilizar a imunização. Apesar de não haver vacina para todos neste primeiro momento, há um esforço para aumentar a cobertura, reduzindo os números referentes à hospitalizações e óbitos. Para isso, os especialistas chamam atenção para a importância da velocidade na logística de distribuição.

 

O caminho feito por imunizantes até os postos de vacinação nunca esteve tão em evidência quanto agora. O coordenador da pós-graduação em logística do Centro Universitário Newton Paiva , Cleyton Izidoro, explica que o armazenamento e transporte do material é uma responsabilidade compartilhada entre as três esferas do poder executivo. "Por ser um país de dimensões continentais, a melhor forma de se organizar esse processo é fragmentando o fluxo de distribuição. A União recebe o montante inicial e repassa aos estados; eles fazem a distribuição para os municípios, que organizam os detalhes da aplicação", explica.

 

Segundo Cleyton, um dos principais desafios dessa logística está na etapa de armazenamento. Afinal, trata-se de um material sensível, que muitas vezes exige condições específicas de temperatura para se manter preservado. Como é o caso das vacinas CoronaVac e de Oxford, que devem ser mantida em ambientes entre 2 e 8 graus.Ele destaca ainda os variados níveis de acesso no Brasil, que impedem uma padronização do tipo de transporte. Dessa forma, a escolha entre os modais rodoviário, aéreo e aquaviário depende das especificidades de cada região.

 

O especialista afirma que, diante desses desafios, a melhor solução é o planejamento prévio. "Ainda que não se tenha precisão quanto a datas e quantitativos neste primeiro momento, os processos de logística devem ser definidos previamente. Esse plano deve levar em conta as especificidades do material, das regiões em que será enviado, os possíveis imprevistos e a possibilidade de fazer adaptações. Essa atitude é fundamental para garantir a agilidade das entregas e a preservação dos imunizantes durante toda a trajetória", declara Cleyton.

 

 

Pensando nas próximas remessas da da vacina, Cleyton considera a tecnologia como estratégica no processo de distribuição. "Uma das principais preocupações deve ser com o rastreamento. Hoje em dia existem diversas ferramentas, como GPS por exemplo, que são fundamentais para evitar extravios das mercadorias. Além de facilitar a conferência dos quantitativos, ainda permite o monitoramento do processo de aplicação e o combate às possíveis fraudes", finaliza.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO