Mato Grosso, 22 de Outubro de 2021
Nacional / Internacional
Em Sinop, ministro da Educação anuncia a criação da Universidade Federal do Norte de Mato Grosso
01.10.2021
10:52
FONTE: Redação com Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Foto: Reprodução

    Foto: Reprodução

Em visita ao Estado desde quarta-feira, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, esteve em Sinop, onde participou de um evento na Câmara Municipal, com a presença de 16 prefeitos da região, ocasião em que anunciou a criação da Universidade Federal do Norte de Mato Grosso.

 

O ministro afirmou que o projeto deve ser apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro no próximo dia 15 de outubro, que marca o Dia do Professor.

 

A proposta precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional e define que a criação da nova unidade será feita por meio da divisão da Universidade Federal de Mato Grosso.

 

Criado há 15 anos, o campus da UFMT em Sinop conta hoje com três mil e 200 alunos nos cursos de Ciências Agrárias e Ambientais, Saúde e Licenciatura. Tem 253 professores, 116 técnicos-administrativos e 100 colaboradores terceirizados.

 

Segundo o secretário estadual de Educação, Alan Porto, o Governo do Estado apoia a criação da Universidade Federal do Norte de Mato Grosso, anunciada pelo ministro Milton Ribeiro, durante visita a Sinop.

 

“A implantação da Universidade Federal do Norte de Mato Grosso vai representar mais oportunidades para os jovens.  Sinop é a segunda região que mais cresce em relação à educação. Temos cerca cinco mil estudantes que finalizam o Ensino Médio, por ano, na região” ressaltou Alan.

 

Depois o ministro cumpriu agenda em Cuiabá e Várzea Grande.

 

Ao lado do reitor, Júlio César dos Santos, Milton Ribeiro assinou o edital para retomada da obra do IFMT, Instituto Federal de Mato Grosso – Campus Várzea Grande, que fica no bairro Chapéu do Sol.

 

A construção do campus em Várzea Grande foi anunciada em 2012 e iniciada em 2014. A previsão de entrega era dois anos depois, mas estava parada até hoje.

 

Ao criticar a paralisação da obra, o ministro afirmou que o “Problema da Educação não é dinheiro, é gestão”.

 

 

Cumprindo agenda de três dias em Mato Grosso, o ministro da Educação, esteve também em Rondonópolis, onde visitou a Universidade Federal de Rondonópolis.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO