Mato Grosso, 09 de Julho de 2020
Nacional / Internacional
Médica goiana que coordenou pesquisa sobre o zika vírus é homenageada pela Turma da Mônica
30.06.2020
09:17
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Celina Turchi foi a responsável por formar uma rede de profissionais que conseguiu identificar, em três meses, a associação do vírus com a microcefalia.

    Médica goiana que coordenou pesquisa sobre o zika vírus é homenageada pela Turma da Mônica — Foto: Maurício de Sousa/ Divulgação

A médica goiana Celina Turchi, de 68 anos, foi homenageada pela Turma da Mônica por sua atuação na pesquisa que identificou a ligação entre o zika vírus e a microcefalia, uma malformação neurológica em que o cérebro não se desenvolve da forma adequada.

 

A epidemiologista teve sua biografia publicada na página do projeto "Donas da Rua da História", que busca resgatar a trajetória de mulheres que marcaram a humanidade com suas ações. A médica também ganhou um desenho na página de Maurício de Sousa em uma rede social, representada pela personagem Denise.

 

Celina foi a responsável por formar o Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia, com cerca de 30 profissionais de diversas especialidades e instituições. Os pesquisadores conseguiram identificar como o zika e a microcefalia estavam associados em um período de três meses - em janeiro de 2016 os estudos começaram e em abril já havia fortes indícios da relação.

 

Celina Turchi obteve reconhecimento da Organização Mundial de Saúde (OMS) pela rapidez nas pesquisas, foi escolhida pela revista científica "Nature" como um das dez cientistas mais importantes do mundo em 2016 e selecionada pela revista "Time" como uma das 100 pessoas mais influentes em 2017.

 

Nascida em Goiânia, Celina Maria Turchi Martelli é graduada em medicina pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e mestre em epidemiologia pela London School of Hygiene e Tropical Medicine, no Reino Unido. Celina também é doutora em saúde pública pela Universidade de São Paulo (USP).

 

Atualmente, ela é pesquisadora no Instituto Aggeu Magalhães, da Fundação Oswaldo Cruz de Pernambuco (Fiocruz/PE), e coordenadora do Grupo de Pesquisa de Epidemia em Microcefalia, com projetos na área de infecção pelo zika vírus desde 2015.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO