Mato Grosso, 20 de Abril de 2021
Nacional / Internacional
Ministério da Saúde admite que pode faltar oxigênio em municípios de Mato Grosso
24.03.2021
10:00
FONTE: Redação com Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Foto: Assessoria

    Foto: Assessoria

O Ministério da Saúde informou à Procuradoria Geral da República que a situação da falta de oxigênio medicinal é preocupante em Mato Grosso e que há possibilidade de falta do produto.

 

O assunto foi tratado em uma reunião do Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia de Covi-19 com a presença de representantes do ministério da Saúde, da Procuradoria Geral da República e da empresa White Martins, uma das principais produtoras de oxigênio medicinal do país.

 

O diretor de Logística do Ministério da Saúde, general Ridauto Fernandes, garantiu que medidas foram tomadas para evitar o desabastecimento em todo o país.

 

As tratativas são para aumentar a produção de cilindros, além de instalar “concentradores de oxigênio”, que funcionariam de maneira parecida a mini usinas de oxigênio.

 

A Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, centraliza e monitora os dados de consumo do produto em todo o país.

 

Ridauto informou que, de acordo com o monitoramento do Ministério da Saúde, a situação é mais preocupante em seis estados: Acre, Rondônia, Amapá, Ceará, Rio Grande do Norte e Mato Grosso.

 

Por outro lado, a Secretaria de Estado de Saúde informou que a falta de oxigênio pode atingir 50 municípios de Mato Grosso e já acionou o Ministério da Saúde.

 

 

Oxigênio hospitalar é um dos principais insumos que garantem a sobrevivência de pacientes com Covid-19 que estejam internados nas UTIs em todo país.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO