Mato Grosso, 15 de Julho de 2024
Nacional / Internacional

Mortes por afogamento em rios de Roraima sobem 33% em 2013

10.09.2013
11:14
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

O jovem José Ronylsson Matias, de 21 anos, que se afogou ao tentar atravessar o rio Cauamé, no sábado (7), foi a 13ª vítima de afogamento neste ano, em Roraima. O corpo da vítima foi encontrado na tarde dessa segunda-feira (9), no bairro Jardim das Copaíbas, zona Oeste de Boa Vista, a 10 quilômetros de distância do Balneário Caçari, onde ocorreu o afogamento.

Segundo dados do Corpo de Bombeiros, até o mês de agosto de 2013, foram registradas sete mortes por afogamento em Boa Vista e cinco em Caracaraí. O caso de Matias foi o único ocorrido neste mês de setembro.

Em relação ao mesmo período do ano passado - janeiro a agosto - o número de mortes aumentou 33% em 2013. Ao todo, foram contabilizadas nove mortes por afogamento no estado nos primeiros oito meses de 2012, sendo todas em Boa Vista.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e resgatou ano passado cinco pessoas que estavam se afogando. Este ano, nos registros de afogamento, todas as vítimas morreram.

Conforme o sub-comandante geral da instituição militar, coronel Kléber Gomes, existem vários fatores que levam a casos de afogamento. Mesmo a pessoa sabendo nadar, é necessário cautela e alguns cuidados na hora de tomar banho em igarapés e rios.

Não é indicado a travessia a nado em rios, principalmente nesta época de chuvas em que o nível das águas está alto e a correnteza forte. A pessoa pode se cansar com facilidade e ter cãimbra. Caso a travessia seja feita em embarcações, todas as pessoas devem estar com colete salva vidas.

"É importante também que as pessoas que vão para balneários sempre estejam acompanhadas. Nunca frequente sozinhas igarapés e rios. Tem que ter sempre alguém vigiando para que, no caso de afogamento, preste socorro", orientou.

O sub-comandante do Corpo de Bombeiros salientou ainda os cuidados que os banhistas devem ter com relação a buracos no fundo de rios e igarapés. "Os rios estão muito cheios ainda. E tem vários pontos com poços e buracos. Às vezes a pessoa está andando um lugar razo e acaba caindo em buracos. É necessária atenção quanto a isso", destacou.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS

ENVIE SEU COMENTÁRIO