Mato Grosso, 22 de Outubro de 2021
Nacional / Internacional
No ES, 1.551 detentos vão fazer o Enem 2013 em unidades prisionais
08.11.2013
11:13
FONTE: G1

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

Mais de 1,5 mil internos do sistema prisional capixaba participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL), de acordo com a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus). As provas serão realizadas nos dias 3 e 4 de dezembro e serão aplicadas em 27 unidades prisionais do Espírito Santo, em 13 municípios da Grande Vitória e do interior.

Em todo o Espírito Santo, 1.551 internos farão as provas do Enem. De acordo com a Sejus, esse número é 17,5% maior que o registrado em 2012, quando 1.320 internos participaram do exame. O crescimento é ainda maior se comparado aos inscritos nas provas de 2009, quando somente 36 alunos prestaram o Enem.

De acordo com oInstituto de Atendimento Socioeducativo (Iases), 55 adolescentes vão fazer o Enem em dezembro.

Entre os benefícios para os alunos que vão prestar o Enem estão a possibilidade de concessão de financiamento estudantil por meio do ProUni (Programa Universidade para Todos), do Governo Federal, e chances de receberem bolsas de estudos em faculdades particulares, por meio do programa Nossa Bolsa, do governo estadual.

A nota obtida no Enem também poderá ser utilizada em processos seletivos de instituições de ensino superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). E, caso alcance a pontuação necessária, o candidato também poderá receber a certificação de conclusão do Ensino Médio.

De acordo com a Sejus, atualmente, o Espírito Santo possui 3,6 mil presos estudando dentro de 27 unidades prisionais, desde a alfabetização até o Ensino Médio na modalidade de Educação para Jovens e adultos (EJA). Enquanto a média nacional de presos na escola é de 10% nosso índice é de 25% da população carcerária em sala de aula. Ainda segundo a secretaria, entre a população carcerária feminina esse índice é ainda maior. O Espírito Santo é o estado com mais mulheres presas envolvidas em atividades educacionais no país. Cerca de 60% delas estão inseridas no processo educacional.

Redução da pena

A Lei nº 12.433/11, sancionada em junho, alterou a Lei de Execução Penal para permitir a redução da pena dos presos que estudam. O benefício da remição autoriza a redução de um dia da pena a cada 12 horas de estudo, distribuídas em três dias.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO