Mato Grosso, 28 de Janeiro de 2022
Economia / Agronegócio
Propriedade no Nortão tem produtividade de carne 10 vezes maior que a média nacional
03.01.2022
09:01
FONTE: Redação com Assessoria

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Foto: Assessoria

    Foto: Assessoria

Enquanto a média da produtividade da pecuária bovina no Brasil se mantém  em cerca de 4,5 arrobas por hectare/ano, uma propriedade rural do município amazônico de Nova Bandeirantes, norte de Mato Grosso, virou caso de sucesso.

 

É que, a adoção de técnicas e práticas sustentáveis possibilitou o índice de 50 arrobas por hectare/ano, número aproximadamente 10 vezes maior do que a média nacional.

 

As estratégias para alcançar a taxa foram compartilhadas em um Dia de Campo organizado pelo Sebrae para pequenos produtores rurais com apoio do ICV, Instituto Centro de Vida e Campo S/A, num evento antes do natal. 

 

O encontro “Como produzir 50 arrobas por hectare?” contou com mais de 120 participantes, entre produtores rurais, consultores, representantes de vendas e acadêmicos.

 

Tecnologias de manejo de pastagem, com adubação adequada, manejo dos animais em sistemas rotacionados e qualidade da água estão entre as ações-chave para alcançar uma produção mais robusta sem desmatamento.

 

Para o diretor da Campo S/A, Murilo Guimarães, o caso de sucesso vai ditar o futuro da pecuária na Amazônia de Mato Grosso.

 

“É uma quebra de paradigma”, define. “Estamos mostrando como a metodologia tem a capacidade de atingir mais e mais produtividade”, comemora Guimarães.

 

Tornar a pecuária da Amazônia mato-grossense mais produtiva, rentável e capaz de garantir a preservação da floresta amazônica é o principal foco do projeto Conect@gro, que atende 15 propriedades de médio porte, com tamanho médio de 600 hectares na região.

 

Ao total, somará mais de nove mil hectares com melhorias técnicas na produção e na gestão da propriedade.

 

 

As atividades do projeto abarcam diversas áreas: gestão do negócio, planejamento de produção, capacitação, manejo de pastagens, suplementação alimentar, recuperação de áreas degradadas e outras.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO