Mato Grosso, 06 de Agosto de 2020
Mato Grosso
Tatuador é preso em MT por manter cobras em estúdio de tatuagem
30.07.2020
08:44
FONTE: G1 MT

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Além dos animais em cativeiro sem autorização, polícia encontrou maconha e arma no local. Cliente disse que tatuador não permitiu que namorado ficasse na sala, mandou que ela ficasse nua e cometeu os abusos. Ela saiu correndo e chamou a polícia.

    Cobra foi apreendida e deve ser solta em área de mata — Foto: Polícia Ambiental

Um tatuador foi preso na noite dessa terça-feira (28) em Rondonópolis depois que a polícia encontrou duas cobras no estúdio de tatuagem dele. Segundo a Polícia Ambiental,o homem criava os animais silvestres sem autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

 

A polícia foi até o local depois de receber uma denúncia de que o tatuador teria abusado sexualmente de uma cliente dele. E durante a ocorrência encontrou as cobras das espécies jiboia e corn snake (cobra-do-milho), originária dos Estados Unidos.

 

As cobras foram apreendidas. A jiboia, que pertence à fauna silvestre nacional, vai ser solta numa área de mata. Já o destino da outra vai depender de uma decisão dos órgãos ambientais.

 

No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar conta que durante rondas no Bairro Cophalis, a polícia encontrou o namorado da cliente dizendo que ela tinha sofrido uma tentativa de estupro e que o suspeito estava no local no crime, ou seja, no estúdio de tatuagem.

 

Denúncia de abuso sexual

A vítima disse à polícia que tinha marcado um horário no estúdio do suspeito para fazer uma tatuagem e que, quando chegou no estabelecimento com o namorado, o suspeito impediu a entrada dele ao local alegando que a medida era para a prevenção da Covid-19.

 

Desse modo, o namorado ficou do lado de fora do prédio e deixou a vítima sozinha com o suspeito.

 

Na sala de recepção, segundo a denúncia, o suspeito pediu que a vitima ficasse nua e sentada, para que pudesse identificar o melhor posicionamento para a tatuagem. Em seguida, de acordo com o boletim de ocorrência, começou a acariciá-la nas pernas, aproximando das nádegas, "e por vezes abrindo as pernas da mesma aonde tornava exposta seu órgão genital".

 

No entanto, segundo a vítima disse à polícia, não havia necessidade dela tirar toda a roupa, pois a tatuagem era na parte de trás da coxa. Os abusos aumentaram.

 

Quando percebeu que a vitima estava apavorada, ele tentou disfarçar e a convenceu a permanecer no local para fazer a tatuagem, mas ela saiu da sala correndo.

 

Depois de receber a denúncia, a polícia foi até o local. O suspeito estava lá e tentou sair pelos fundos. Por causa disso, a Policia Militar forçou a abertura da porta porta principal.

 

O tatuador estava no telhado da casa. Ele foi detido e algemado.

 

No imóvel, onde ele morava e mantinha o estúdio, a polícia identificou que ele criava duas cobras em cativeiro, além de identificar que ele tinha itens bélicos (espoletas e pólvora preta) usados para carregar cartuchos.

 

Em seguida, foi realizada uma revista nas dependências do prédio. Conforme o BO, foi encontrado um tablete de maconha, balanças de precisão, dinheiro trocado, uma espingarda com munições calibre.22, flechas e uma machadinha.

 

Como foram encontrados animais silvestres, a PM chamou a Polícia Ambiental para ir até o local e recolher os animais.

 

O suspeito foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil.

 

O sistema de circuito de câmeras do estúdio foi apreendido para que as imagens possam ajudar na investigação de tentativa de estupro denunciada pela cliente.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO