Mato Grosso, 26 de Fevereiro de 2021
Mato Grosso
Eleito 'o pior da Copa', aeroporto de Cuiabá está com obras atrasadas
19.05.2013
01:25
FONTE: Renê Dióz/G1 MT

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

  • Terminal recebeu pior avaliação em seis quesitos e reprovou em outros 14.
Eleito o pior aeroporto dentre os 15 terminais que deverão atender à demanda da Copa de 2014, o Marechal Rondon, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá) está com obras de ampliação e reforma atrasadas, tendo executado apenas 2,67% do projeto nos três primeiros meses de construção. Segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCE), até março a unidade já deveria ter concluído pelo menos 13,07% do projeto.

Em pesquisa feita pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, divulgada neste sábado (18) pelo Jornal Nacional, o terminal localizado em Várzea Grande recebeu a menor nota das cidades-sede. Foram ouvidos 21 mil passageiros.

O atraso foi apontado no início do mês pelo TCE, em relatório de acompanhamento das obras lançadas com vistas à Copa em Mato Grosso. Executado por um consórcio de três empresas, o projeto de reforma e ampliação do terminal tem prazo de conclusão marcado para 8 de março do ano que vem e deverá custar cerca de R$ 100 milhões ao todo.

A Infraero já assegurou a entrega das obras no prazo e afirmou que o ritmo de execução das obras deve se incrementar com a chegada, em breve, de equipamentos que devem implementar um novo sistema de serviço aeroportuário. O croqui do novo aeroporto inclui mudanças como um novo setor de desembarque e a implementação de quatro sistemas de fingers (pontes de acesso às aeronaves).

A expectativa é de que o projeto amenize justamente os problemas apontados pelos usuários, que não vêem como o terminal suportar a demanda crescente nas mesmas condições.

“Tem que ter muita melhora porque é uma coisa que vai ficar na memória dos turistas”, opinou o engenheiro civil Rogério Rodrigues, que costuma viajar a trabalho e utilizar o aeroporto de Cuiabá. 
Também ouvido no saguão do aeroporto nesta sexta-feira (17), o passageiro Gilmar Kufta reclamou do tempo de 40 a 50 minutos para fazer o check-in e se mostrou pessimista quanto a 2014. “Acho que não vai suportar. A não ser que melhorias sejam feitas, e bem feitas”, enfatizou.
 
"Pior" da Copa
A pesquisa colheu a opinião de passageiros de todos os aeroportos das 12 cidades-sede e de outros três que deverão auxiliar a atender a demanda de tráfego aéreo na época. Foram ouvidos 21 mil passageiros no primeiro trimestre deste ano que opinaram sobre 41 itens, como limpeza de banheiros, tempo de espera em filas, segurança, qualidade das informações repassadas, cortesia dos funcionários, valor de produtos de alimentação, custo de estacionamento e acesso à internet.

Além de ter recebido a pior média geral de desempenho operacional, o aeroporto é o pior em seis dos 34 quesitos em que foi avaliado. São eles: disponibilidade de ruas de acesso para embarque e desembarque dos passageiros; tempo gasto nas filas dos sistemas que permitem realizar o check-in via autoatendimento; cortesia dos funcionários da inspeção de segurança; rigor na segurança; atendimento por parte dos funcionários do próprio aeroporto; e conforto térmico proporcionado pelas instalações.

Em outros 14 indicadores o aeroporto Marechal Rondon aparece como o segundo ou o terceiro pior dentre os avaliados. A unidade reprova em itens como satisfação geral dos usuários, velocidade de restituição da bagagem, limpeza geral, tempo na fila da inspeção de segurança, eficiência e cortesia dos funcionários do check-in, disponibilidade de táxis, instalações do estacionamento, disponibilidade de caminhos e facilidade em achá-los, distância de caminhada até o terminal, facilidade das conexões e conforto acústico.

IMPRIMA ESSA NOTÍCIA ENVIE PARA UM AMIGO

NOTÍCIAS RELACIONADAS
ENVIE SEU COMENTÁRIO